Dirce Carneiro por Diana Gonçalves
Pensamentos... palavras e poesia... em ação...querendo alçar voo, em mutação...
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Prêmios Livro de Visitas Contato Links
AMOR ANTIGO

Bem,  tudo começou numa linda cidade do interior, cujo nome era Campos de Lírios. Lá morava Eliza, uma linda moça, dona de uma perfumaria muito charmosa e bem aconchegante. Sua perfumaria era muita conhecida na cidade.

Eliza era uma moça independente e misteriosa, nem suas amigas sabiam de sua vida amorosa. Certo dia, uma de suas amigas chega à sua loja e diz que estava chegando à cidade o filho do fazendeiro mais rico da região, cujo nome  era Rodrigo.
A amiga de Eliza ficou muito feliz com a volta do moço, pois ele era amigo delas desde crianças.
A perfumista ficou assustada, já fazia 15 anos que eles não se viam e de repente a porta da loja se abre... E lá estava ele, Rodrigo! Não mudara nada! Os mesmos olhos verde-esmeralda, a vasta cabeleira preta.
O coração de Eliza disparou. Por um momento, lembrou daquela tarde de primavera, à beira do lago... Ele fora seu primeiro e único amor... Camila? Ele jamais deveria saber da existência dela, fruto de seu rápido romance...
Camila era filha dos dois. Mas fora levada ao nascer pela mãe da Eliza que se chamava Marta, sua mãe disse que a menina tinha falecido ao nascer e Eliza não viu sua filha. Mas depois de 10 anos, a mesma descobriu que sua mãe havia mentido. Ela entregou o bebê com muita raiva, na porta do próprio pai que estava noivo com Paula, que foi a causa dos dois terminarem, pois não permitia ter uma filha que fosse mãe solteira. Quando Eliza soube dessa historia já era tarde demais. Só descobriu isso depois de 10 anos! Já fazia 5 anos que não via a filha. A mãe de Rodrigo foi quem criou a menina, quando a encontrou na porta, largada dentro de um cesto de vime. Logo em seguida ela e o filho se mudaram e não havia como saber para onde. Rodrigo nunca soube que a menina era sua filha.
E agora... O que ela tinha que fazer? Ali estava o homem de sua vida, seu grande amor, e a chance de ter sua filha de volta. Mas será que ele iria aceitá-la, com toda aquela história da filha abandonada... Será que eles poderiam formar a tão sonhada família que Eliza tanto necessitava?
Eliza lembrou-se das histórias da mitologia grega. Sempre há, nelas, o momento da revelação. Mas quando seria oportuno? Quinze anos transcorreram. A moça do interior aprendera muita coisa sobre a vida. Tinha a convicção de que valeria a pena envidar todos os esforços em busca do tempo perdido. Soube que Rodrigo havia se casado e que ficara viúvo e possuía um filho. Parecia que a vida conspirava a favor desse reencontro. Eliza aprendera que é necessário interpretar os sinais, e o fato de Rodrigo estar sozinho e com um filho tinha algum significado.


11/01/2008
Nilly Tunes, Denise Severgnini, Marcelo Bancalero, Diana Gonçalves
DIANA GONÇALVES
Enviado por DIANA GONÇALVES em 11/01/2008
Comentários