Dirce Carneiro por Diana Gonçalves
Pensamentos... palavras e poesia... em ação...querendo alçar voo, em mutação...
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Prêmios Livro de Visitas Contato Links
MÃE - EU TIVE UM SONHO

Mãe, você foi de repente,
numa hora em que eu ainda não estava preparada p
ara viver sem você
se bem que em hora nenhuma estamos preparados
para perder tão grande amor.

Mãe, depois que você se foi eu perdi o chão,
definhei e percebi que meu alicerce emocional
era a sua presença.

Mãe, com a sua ausência eu tive que dar os primeiros passos
sozinha,
embora já adulta
e pensando que compreendesse o mundo em que vivia.

Mãe, eu soube, depois que você partiu,
o que significa amor de mãe, o que é essa palavra
– incondicional – relacionada ao sentimento
com que descrevem a relação mãe-filho.

Mãe, eu soube depois o que é esse amor,
e o que eu descobri as palavras não explicam,
porque é uma sensação que não pode ser relatada, é inenarrável,
apenas sentida.

Mãe, nada, nada neste mundo se compara
ao bem estar,
à felicidade,
ao aconchego,
à paz
e à acolhida
da sua existência.

Mãe, se soubéssemos de tudo isso antes,
não nos deixaríamos nos absorver pela vida,
pela luta,
viveríamos mais a seu lado,
deitaríamos mais vezes no seu colo,
te beijaríamos mais, te abraçaríamos mais,
e não diríamos tantas palavras que lhe causaram tristezas,
não deixaríamos que tantas outras coisas pequenas nos incomodassem.

Mãe, aquela semente de consciência mais ampla
que às vezes você deixava transparecer,
existe em mim.
A semente deu fruto,
estamos em evolução.


Mãe, depois que você partiu você viu como fiquei triste.
E um dia de manhã eu tive um sonho.
Será que foi sonho?
Você chegou perto da minha cama e me abraçou
e naquele abraço eu senti pela última vez o seu calor,
o seu afeto,
o seu amor.

Mãe, depois disso
ainda demorou para eu sarar aquela dor.
Eu era lenta para curar dores, mágoas, decepções.
Fez parte da evolução.

Mãe, já passou muito tempo desde que você partiu.
Agora só a saudade ficou
e a lembrança da atmosfera da casa
onde existe uma mãe,
muito me inspira.

Mãe, eu lhe agradeço pela sua existência.
Às vezes eu olho para o céu
e sei que em algum lugar nessa infinitude você está,
acolhida pela grandeza,
misericórdia,
amor
e envolta na luz que emana do nosso Pai do Céu.

Mãe, eu te amo.
Obrigada.
Esteja em paz.
Estamos bem.
Encontrou o pai aí?
Ele também partiu faz pouco tempo.
Diz a ele que estão todos bem.
Não vão brigar aí, nas nuvens.
Até um dia
na eternidade.
Obrigada a vocês dois.
Deus abençoe vocês.



07/05/2009
Texto revisitado em maio de 2021
DIANA GONÇALVES
Enviado por DIANA GONÇALVES em 05/05/2021
Comentários