Dirce Carneiro por Diana Gonçalves
Pensamentos... palavras e poesia... em ação...querendo alçar voo, em mutação...
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário Textos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks

TRÍVIOLETRA T 1.201 A T 1.300
TRÍVIOLETRA T 1.201 A T 1.300


Celinha Viol
21 de junho
(1300) TRÍVIOLETRA (TC): ARMAZEM 1
A boca aberta pra rua // A FOME ESCONDIDA // o peso e a medida (1)
R ecusa fiado // falência que ronda // esforço dobrado (6)
M ercadorias muitas // moedas poucas // arroz ou feijão (3)
A caderneta // posta de bacalhau // fiado, no prego (7)
Z ela o estoque minguado // o roubo famélico // o ético e justo (2)
E legante balconista // jaleco, boné // e lápis na orelha (5)
M ilho e farinha a granel // mimo e a caderneta // açúcar e mel (4)
Marco Bastos 1, 5
Dirce Carneiro 2
Maria Inez Alves 3
Celinha Viol 4
Valeria Roma Grimaldi 6
Hércio Afonso 7
TRÍVIOLETRA (TS): ARMAZEM 1
A boca aberta pra rua // A FOME ESCONDIDA // o peso e a medida (1)
Z ela o estoque minguado // o roubo famélico // o ético e justo (2)
M ercadorias muitas // moedas poucas // arroz ou feijão (3)
M ilho e farinha a granel // mimo e a caderneta // açúcar e mel (4)
E legante balconista // jaleco, boné // e lápis na orelha (5)
R ecusa fiado // falência que ronda // esforço dobrado (6)
A caderneta // posta de bacalhau // fiado, no prego (7)


Visualizado por 5

3
Celinha Viol, Maria Lima e 1 outra pessoa
Curtir

Curtir

Amei

Haha

Uau

Triste

Grr

Comentários

Você desativou os comentários desta publicação.
MAIS ANTIGO





Celinha Viol
21 de junho
(1299) TRÍVIOLETRA (TC): CRESPOS
C respa arrogância // O TOPETE DO BODE // com a cara pro sol. (1)
R ei liso, um quiabo // crespos na corte // - chumaços debaixo dos braços (6)
E mpáfia // vaidade sem limites // o reino sem a coroa (3)
S oberbo pavão // cultiva a plumagem // esquece seus pés (4)
P oderoso // levanta a crista // pensa que é artista (2)
O bstinado,matreiro // exibe a pelagem // atrai atenção (7)
S ão anelados // príncipe não é // só o rei do pasto (5)
Marco Bastos 1, 6
Marcia Portella 2
Celinha Viol 3
Rosemary S. Mizrahi 4
Dirce Carneiro 5
Valéria Roma Grimaldi 7
TRÍVIOLETRA (TS): CRESPOS
C respa arrogância // O TOPETE DO BODE // com a cara pro sol. (1)
P oderoso // levanta a crista // pensa que é artista (2)
E mpáfia // vaidade sem limites // o reino sem a coroa (3)
S oberbo pavão // cultiva a plumagem // esquece seus pés (4)
S ão anelados // príncipe não é // só o rei do pasto (5)
R ei liso, um quiabo // crespos na corte // - chumaços debaixo dos braços (6)
O bstinado,matreiro // exibe a pelagem // atrai atenção (7)


Visualizado por 6

4
Celinha Viol, Maria Inez Alves e outras 2 pessoas
Curtir
Comentários

Você desativou os comentários desta publicação.





Marco Bastos
21 de junho
(1298) TRÍVIOLETRA TC : ARMAZEM.
A zeite, azeitona // SECOS E MOLHADOS // vinagre e parquetina (1)
R olo de fumo // lingüiça, temperos // embrulhados em jornais (2)
M oringa de barro // bacalhau na barrica // rasga a chita no fio (6)
A caderneta do fiado // a bala doce // a Filizola (3)
Z eloso merceeiro // soma conferida // minguado troco (5)
E spia lá dentro // sacaria de batata // caninha pro santo (4)
M armelo na caixa // sacos de farinha // alvos panos de cozinha (7)
Celinha Viol 1, 7
Maria Lima 2
Dirce Carneiro 3
Valeria Roma Grimaldi 4
Rosemary S. Mizrahi 5
Marco Bastos 6
TRÍVIOLETRA TS : ARMAZEM.
A zeite, azeitona // SECOS E MOLHADOS // vinagre e parquetina (1)
R olo de fumo // lingüiça, temperos // embrulhados em jornais (2)
A caderneta do fiado // a bala doce // a Filizola (3)
E spia lá dentro // sacaria de batata // caninha pro santo (4)
Z eloso merceeiro // soma conferida // minguado troco (5)
M oringa de barro // bacalhau na barrica // rasga a chita no fio (6)
M armelo na caixa // sacos de farinha // alvos panos de cozinha (7)


Visualizado por 7

2
Maria Lima e 1 outra pessoa
Curtir
Comentários

Um administrador desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
19 de junho
(1297) TRÍVIOLETRA TC : BORDADO.
B ordavam de dia // desmanchavam a noite // mulheres de Atenas (2)
O pano esticado // o tempo curto // conversas sem fim (3)
R evira bainha // ponto cheio em cores // vestido de baile (4)
D a beira,mais caminha // Penélope // sinuosa sinhá_aninha (5).
A gulha, dedal de prata // BASTIDOR // ponto - cruz, uma flor (1)
D ou o ponto // teço a noite // fio o dia (7)
O culta tesoura // avesso rompido // destrói o bordado (6)
Celinha Viol 1
Maria Lima 2
Dirce Carneiro 3
Valeria Roma Grimaldi 4
Marco Bastos 5
Rosemary S. Mizrahi 6
Marcia Portella 7
TRÍVIOLETRA TS : BORDADO.
A gulha, dedal de prata // BASTIDOR // ponto - cruz, uma flor (1)
B ordavam de dia // desmanchavam a noite // mulheres de Atenas (2)
O pano esticado // o tempo curto // conversas sem fim (3)
R evira bainha // ponto cheio em cores // vestido de baile (4)
D a beira,mais caminha // Penélope // sinuosa sinhá_aninha (5).
O culta tesoura // avesso rompido // destrói o bordado (6)
D ou o ponto // teço a noite // fio o dia (7)


Visualizado por 5

4
Celinha Viol, Maria Inez Alves e outras 2 pessoas
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
18 de junho
(1296) TRÍVIOLETRA TC : TALENTO
T esouro da alma // no cais da perfeição // o barco ancora...(2)
A rtífice das belas artes // CRIA, INVENTA // sentimento aflora (1)
L ivre é a mente // vagueia incrementa // ávida recria (3)
E nleva o artista // inventar segredos // alegres burburinhos (6)
N o palhaço // é nato // é fato (5)
T alento // tanta arte na tela // inspiração - técnica e emoção (7)
O momento exato da criação // eureka // atua o artesão (4)
Celinha Viol 1, 7
Elischa Dewes 2
Maria Lima 3
Dirce Carneiro 4
Marcia Portella 5
Valéria Roma Grimaldi 6
TRÍVIOLETRA TS : TALENTO
A rtífice das belas artes // CRIA, INVENTA // sentimento aflora (1)
T esouro da alma // no cais da perfeição // o barco ancora...(2)
L ivre é a mente // vagueia incrementa // ávida recria (3)
O momento exato da criação // eureka // atua o artesão (4)
N o palhaço // é nato // é fato (5)
E nleva o artista // inventar segredos // alegres burburinhos (6)
T alento // tanta arte na tela // inspiração - técnica e emoção
(7)


Visualizado por 5

4
Celinha Viol, Maria Inez Alves e outras 2 pessoas
Curtir
Comentários

Você desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
18 de junho
(1295) TRÍVIOLETRA (TC): DI_VERSO:
D a joaninha // FALO EU:// - menina ou baratinha que morreu ? (1)
I mpressiona // a beleza do voar // joaninha-menina (7)
_
V este vermelho // a joaninha // não é menina, nem mulher (4)
E reverso do avesso // declaro // desenredo que doeu (3)
R edonda, pintadinha // casaco de festa, verniz // pernas gris (6)
S eus cabelos negros // tranças ao vento // - voou, voou Joaninha.. (2)
Ouço asas coloridas // cortando os ares // que bela vida! (5)
Marco Bastos 1, 6
Celinha Viol 2
Dirce Carneiro 3
Maria Lima 4
Valéria Roma Grimaldi 5, 7
RÍVIOLETRA (TS): DI_VERSO:
D a joaninha // FALO EU:// - menina ou baratinha que morreu ? (1)
S eus cabelos negros // tranças ao vento // - voou, voou Joaninha.. (2)
E reverso do avesso // declaro // desenredo que doeu (3)
V este vermelho // a joaninha // não é menina, nem mulher (4)
Ouço asas coloridas // cortando os ares // que bela vida! (5)
R edonda, pintadinha // casaco de festa, verniz // pernas gris (6)
I mpressiona // a beleza do voar // joaninha-menina (7)


Visualizado por 5

4
Celinha Viol, Maria Inez Alves e outras 2 pessoas
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
18 de junho
(1294) TRÍVIOLETRA TC : JOGO
J ogadores em campo // Expectativa – iva // grito de gol - ow (3)
O talento, a fé // BOLA NO PÉ // Gol - balanço da rede (1)
G ola apertada, sufoco // entrar de sola, // - cachorro louco (2)
O ópio // o grito // na densa realidade (4)
Celinha Viol 1
Marco Bastos 2
Maria Lima 3
Marcia Portella 4
TRÍVIOLETRA TS: JOGO
O talento, a fé // BOLA NO PÉ // Gol - balanço da rede (1)
G ola apertada, sufoco // entrar de sola, // - cachorro louco (2)
J ogadores em campo // Expectativa – iva // grito de gol - ow (3)
O ópio // o grito // na densa realidade (4)


Visualizado por 5

3
Celinha Viol, Maria Inez Alves e Maria Lima
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
16 de junho
(1293) TRÍVIOLETRA (TC): ATCHIM
A lérgico // muito pó na floresta // Atchim, Atchim - oh! coitado (2)
T ussi assim // CADA UM TOSSE COMO QUER // e espirra como pode (1)
C ostume antigo do vô // cheira rapé // pra espirrar melhor (5)
H oje não só alergia // gripe rodeando // atchim diferente (3)
I rrita o nariz // contorce a boca // explode em som (6)
M estre das cam_Dungas // não espirra a bola // pro Zangado no offside (4)
Marco Bastos 1, 4
Celinha Viol 2
Valeria Roma Grimaldi 3
Maria Lma 5
Dirce Carneiro 6
TRÍVIOLETRA (TS): ATCHIM
T ussi assim // CADA UM TOSSE COMO QUER // e espirra como pode (1)
A lérgico // muito pó na floresta // Atchim, Atchim - oh! coitado (2)
H oje não só alergia // gripe rodeando // atchim diferente (3)
M estre das cam_Dungas // não espirra a bola // pro Zangado no offside (4)
C ostume antigo do vô // cheira rapé // pra espirrar melhor (5)
I rrita o nariz // contorce a boca // explode em som (6)


Visualizado por 6

2
Celinha Viol e Maria Lima
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
16 de junho
(1292) TRÍVIOLETRA (TC): PIPOCA
P ula na panela // fogão e quentão // correio, coração (2)
I lusão, vira farelo doce // - se_mente o milho // que vira flor (6)
P ipoca com paçoca // NOUTRO INVERNO, QUEM ME DERA // - um novo tempo (1)
O utro dia nova história // do milho o curau // do tempo o agora (4)
C aminhos, ecos, passos // longa história // tempo que não volta (3)
A gora // outra melodia // - tempo - o ir e vir da alegria (5)
Marco Bastos 1, 6
Maria Inez Alves 2
Celinha Viol 3, 5
Maria Lima 4
TRÍVIOLETRA (TS): PIPOCA
P ipoca com paçoca // NOUTRO INVERNO, QUEM ME DERA // - um novo tempo (1)
P ula na panela // fogão e quentão // correio, coração (2)
C aminhos, ecos, passos // longa história // tempo que não volta (3)
O utro dia nova história // do milho o curau // do tempo o agora (4)
A gora // outra melodia // - tempo - o ir e vir da alegria (5)
I lusão, vira farelo doce // - se_mente o milho // que vira flor (6)


Visualizado por 5

2
Você e Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
16 de junho
(1291) TRÍVIOLETRA TC : REFÚGIO
R ede preguiçosa // livro nas mãos // - cheiro de terra, a luz e o breu (4)
E m silêncio // BRISA LEVA O VAZIO // aconchego - velha cabana (1)
F undo do quintal // primeiro abrigo // eu na chuva - nas goteiras (5)
Ú ltimo alento // espera ansiosa // será que ele vem? (2)
G orjeios silentes // coração represado // em doce aconchego (3)
I nda que o dia demore // a chuva pergunta // onde? (7)
O prazer de viver // homem natural // alma elevada (6)
Celinha Viol 1, 4
Valéria Roma Grimaldi 2
Lourdes Ramos 3
Marco Bastos 5
Maria Lima 6
Rosemary S. Mizrahi 7
TRÍVIOLETRA TS : REFÚGIO
E m silêncio // BRISA LEVA O VAZIO // aconchego - velha cabana (1)
Ú ltimo alento // espera ansiosa // será que ele vem? (2)
G orjeios silentes // coração represado // em doce aconchego (3)
R ede preguiçosa // livro nas mãos // - cheiro de terra, a luz e o breu (4)
F undo do quintal // primeiro abrigo // eu na chuva - nas goteiras (5)
O prazer de viver // homem natural // alma elevada (6)
I nda que o dia demore // a chuva pergunta // onde? (7)


Visualizado por 6

3
Você, Celinha Viol e Maria Lima
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
15 de junho
(1290) TRÍVIOLETRA (TC): NARINHA
N o bico, avezinha // VO_VOZINHA DE NADICA // Nara meu amô (1)
A musa da Bossa - Nova // tímida // música com poesia (3)
R ainha de um tempo // pequenina e sedutora // no barquinho foi (2)
I nspira-me ela, no meu tempo // nova batida // novo sentimento (7)
Notas suaves// em tempos idos // ficou na saudade (4)
H istória escrita // movimentos musicais // roda e violão (5)
A voz serena // emoção profunda // ecoa no tempo (6)
Marco Bastos 1, 7
Maria Inez Alves 2
Celinha Viol 3
Marcia Portella 4
Maria Lima 5
Dirce Carneiro 6
TRÍVIOLETRA (TS): NARINHA
N o bico, avezinha // VO_VOZINHA DE NADICA // Nara meu amô (1)
R ainha de um tempo // pequenina e sedutora // no barquinho foi (2)
A musa da Bossa - Nova // tímida // música com poesia (3)
Notas suaves// em tempos idos // ficou na saudade (4)
H istória escrita // movimentos musicais // roda e violão (5)
A voz serena // emoção profunda // ecoa no tempo (6)
I nspira-me ela, no meu tempo // nova batida // novo sentimento (7)


Visualizado por 6

2
Você e Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
13 de junho
(1289) TRÍVIOLETRA TC : ALÇAPÃO
A lçapão aberto // EM MEIO A TEIAS DE ARANHA // um porta - retrato (1)
L embranças antigas // traz à superfície // vidas já vividas (3)
Ç om imaginação // luar incendeia // rendado manto ao canto (5)
A brir o baú // viajar no tempo // vida salta no túnel (4)
P ura alucinação // almas do outro mundo // vivendo no porão (7)
à sas inúteis // recozem amores // de sombras passadas (6)
O lhos fechados // ruídos do passado // em urna lacrada (2)
Celinha Viol 1
Marcia Portella 2
Maria Lima 3
Dirce Carneiro 4
Elischa Dewes 5
Rosemary S. Mizrahi 6
Marco Bastos 7
TRÍVIOLETRA TS : ALÇAPÃO
A lçapão aberto // EM MEIO A TEIAS DE ARANHA // um porta - retrato (1)
O lhos fechados // ruídos do passado // em urna lacrada (2)
L embranças antigas // traz à superfície // vidas já vividas (3)
A brir o baú // viajar no tempo // vida salta no túnel (4)
Ç om imaginação // luar incendeia // rendado manto ao canto (5)
à sas inúteis // recozem amores // de sombras passadas (6)
P ura alucinação // almas do outro mundo // vivendo no porão (7)


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
13 de junho
(1288) TRÍVIOLETRA TC : SOPAS
S abor de lar materno // aquece corpo e alma // nutre (2)
O rna tua mesa // convida teu amor // sorvam juntos, caldo quente (4)
P apa quente // prato fundo // na noite fria (3).
A quece a alma // PÃO NO CALDO - VINHO NA TAÇA // suculentas letrinhas (1)
S abores mil // onde podemos ler // em letrinhas e estrelas (5)
Celinha Viol 1
Maria Inez Alves 2
Marcia Portella 3
Maria Lima 4
Lourdes Ramos 5
TRÍVIOLETRA TS : SOPAS
A quece a alma // PÃO NO CALDO - VINHO NA TAÇA // suculentas letrinhas (1)
S abor de lar materno // aquece corpo e alma // nutre (2)
P apa quente // prato fundo // na noite fria (3).
O rna tua mesa // convida teu amor // sorvam juntos, caldo quente (4)
S abores mil // onde podemos ler // em letrinhas e estrelas (5)


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
12 de junho
(1287) TRÍVIOLETRA (TC): FORMIGA.
F olhas, desfolhação // CORTADEIRAS // barcos, procissão no mar (1)
O rdem social // colônia em movimento // força e poder (3)
R iso de saúva é lida // corta preguiça // canta a cigarra (7)
M ister incansável // instinto atávico // devora o inteiro (4)
I ncessante luta sem comando // só no vento // - vida pela vida (5)
G igantes soldados // um único ser // - um super organismo (2)
.A rrasa no corte // elegante no verão // fofa no inverno (6)
Marco Bastos 1, 5
Celinha Viol 2
Maria Lima 3
Dirce Carneiro 4, 7
Marcia Portella 6
TRÍVIOLETRA (TS): FORMIGA.
F olhas, desfolhação // CORTADEIRAS // barcos, procissão no mar (1)
G igantes soldados // um único ser // - um super organismo (2)
O rdem social // colônia em movimento // força e poder (3)
M ister incansável // instinto atávico // devora o inteiro (4)
I ncessante luta sem comando // só no vento // - vida pela vida (5)
A rrasa no corte // elegante no verão // fofa no inverno (6)
R iso de saúva é lida // corta preguiça // canta a cigarra (7)


Visualizado por 6


4
Celinha Viol, Maria Inez Alves e outras 2 pessoas
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
11 de junho
(1286) TRÍVIOLETRA TC : ARROUBO
A quela paisagem // parece miragem // volto a olhar e já não está.(7)
R evela-se ao soprar // as nuvens no céu // e as ondas no mar.(2)
R ouba da luz // siroco profano // hálito cruel (3)
O ndas de areia // eróticas dunas ondulam // fugazes (4)
U m tom de mistério // um muito de encanto // aurora dos deuses...(6)
B elo pó que brilha // SUSSURRO DO VENTO // tudo fala... tudo cala (1)
O êxtase da viagem // no olhar // o encanto da paisagem (5)
Celinha Viol 1, 5
Maria Lima 2, 7
Rosemary S. Mizrahi 3
Dirce Carneiro 4
Elischa Dewes 6
TRÍVIOLETRA TS : ARROUBO
B elo pó que brilha // SUSSURRO DO VENTO // tudo fala... tudo cala (1)
R evela-se ao soprar // as nuvens no céu // e as ondas no mar.(2)
R ouba da luz // siroco profano // hálito cruel (3)
O ndas de areia // eróticas dunas ondulam // fugazes (4)
O êxtase da viagem // no olhar // o encanto da paisagem (5)
U m tom de mistério // um muito de encanto // aurora dos deuses...(6)
A quela paisagem // parece miragem // volto a olhar e já não está.(7)


Visualizado por 6

3
Você, Celinha Viol e Maria Lima
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
8 de junho
(1285) TRÍVIOLETRA TC : CHÁ
C or verde // aroma hortelã // tarde serena (2)
H ortelã é bom // com biscoito da vovó // gostoso que só! (3)
Á boa xícara de chá // E A POESIA //... para acalmar (1)
Celinha Viol 1
Marcia Portella 2
Maria Lima 3
TRÍVIOLETRA TS : CHÁ
Á boa xícara de chá // E A POESIA //... para acalmar (1)
C or verde // aroma hortelã // tarde serena (2)
H ortelã é bom // com biscoito da vovó // gostoso que só! (3)


Visualizado por 6

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
5 de junho
(1284) TRÍVIOLETRA TC : CHUVA
C onvida a um chá // sentindo o aroma // da terra molhada...(3)
H omem com frio // apita e acena // em via no Rio (2)
Um pingo - um dilúvio // molha o seco // tira o sossego.(5)
V idraça com gotículas // SERENA // - acalma, traz conforto no ar (1)
A gua parideira // semente na beira // colorindo vidas (4)
Celinha Viol 1
Maria Lima 2
Elischa Dewes 3
Marcia Portella 4
João P. C. Furtado 5
TRÍVIOLETRA TS : CHUVA
V idraça com gotículas // SERENA // - acalma, traz conforto no ar (1)
H omem com frio // apita e acena // em via no Rio (2)
C onvida a um chá // sentindo o aroma // da terra molhada...(3)
A gua parideira // semente na beira // colorindo vidas (4)
Um pingo - um dilúvio // molha o seco // tira o sossego.(5)


Visualizado por 5

4
Você, Celinha Viol, Maria Inez Alves e Maria Lima
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
2 de junho
(1283) TRÍVIOLETRA TC : CAFÉ
C om leite e açúcar // café do trem // - café-com pão, bolacha não.(4)
A casa perfumada // afeto tem sabor // conversa regada (3)
F umaça na chaminé // CHEIRO VAI LONGE // bule de mão em mão (1)
É de pobre // sabor puro negro // sem leite nem açúcar.(2)
Celinha Viol 1.
João P. C. Furtado 2
Dirce Careiro 3
Marco Bastos 4
TRÍVIOLETRA TS : CAFÉ
F umaça na chaminé // CHEIRO VAI LONGE // bule de mão em mão (1)
É de pobre // sabor puro negro // sem leite nem açúcar.(2)
A casa perfumada // afeto tem sabor // conversa regada (3)
C om leite e açúcar // café do trem // - café-com pão, bolacha não.(4)


Visualizado por 5


5
Você, Celinha Viol, Maria Inez Alves e outras 2 pessoas
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
1 de junho
(1282) TRÍVIOLETRA TC : CLARÃO
C éu carrancudo // corisco amedronta // choram nimbos (3)
L uminosidade entre nuvens // gotas nas vidraças // lacrimejando (2)
A manhã cinzenta // raio risca o céu // prateia a calçada (4)
R elâmpago // CAI A CHUVA // cristais coloridos no ar (1)
à chuva uiva // claridade na vidraça // raio - esplendor (6)
O raio // farol na tempestade // sinal luminescente (5)
Celinha Viol 1, 4, 6
Lourdes Ramos 2
Maria Inez Alves 3
Dirce Carneiro 5
TRÍVIOLETRA TS : CLARÃO
R elâmpago // CAI A CHUVA // cristais coloridos no ar (1)
L uminosidade entre nuvens // gotas nas vidraças // lacrimejando (2)
C éu carrancudo // corisco amedronta // choram nimbos (3)
A manhã cinzenta // raio risca o céu // prateia a calçada (4)
O raio // farol na tempestade // sinal luminescente (5)
à chuva uiva // claridade na vidraça // raio - esplendor (6)


Visualizado por 5

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
29 de maio
(1281) TRÍVIOLETRA TC : ARREBOL.
A s nuances do ocaso // pleno entardecer // dia abraça a noite (4)
R etiro os véus // ROSTO EM VENTANIA // na cor da luz do sol (1)
R esplandesce em cor // difuso escarlate // rubra face em transe (3)
E através das rubras lacunas // brilha // o esboço do crepúsculo (6)
B elo horizonte // natureza plena // acordar ou adeus.(5)
O Sol, hidrogênio em hélio // Suave nascente // - mero detalhe (2)
L onge, muito longe do horizonte // nasce a luz // - chama_do Sol
Celinha Viol 1, 4, 6
Marco Bastos 2, 7
Dirce Carneiro 3
João P.C. Furtado 5
TRÍVIOLETRA TS : ARREBOL.
R etiro os véus // ROSTO EM VENTANIA // na cor da luz do sol (1)
O Sol, hidrogênio em hélio // Suave nascente // - mero detalhe (2)
R esplandesce em cor // difuso escarlate // rubra face em transe (3)
A s nuances do ocaso // pleno entardecer // dia abraça a noite (4)
B elo horizonte // natureza plena // acordar ou adeus.(5)
E através das rubras lacunas // brilha // o esboço do crepúsculo (6)
L onge, muito longe do horizonte // nasce a luz // - chama_do Sol (7)


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
28 de maio
(1280) TRÍVIOLETRA TC : CAMPO.
C heiro das árvores // SILÊNCIO DAS PEDRAS // no peito, alguma coisa arde (1)
A pimenta de cheiro // a murta , a baunilha // e a pedra do sino (4)
M orgando no embalo // do aroma da cidreira // - é só zonzeira (3)
P edra muda // descanso do campino // labor e lazer. (2)
O rvalho ao despertar // de sol a sol // no luar as histórias.(5)
Celinha Viol 1
João P. C. Furtado 2, 5
Marcia Portella 3
Marco Bastos 4
TRÍVIOLETRA TS : CAMPO.
C heiro das árvores // SILÊNCIO DAS PEDRAS // no peito, alguma coisa arde (1)
P edra muda // descanso do campino // labor e lazer. (2)
M orgando no embalo //do aroma da cidreira // - é só zonzeira (3)
A pimenta de cheiro // a murta , a baunilha // e a pedra do sino (4)
O rvalho ao despertar // de sol a sol // no luar as histórias.(5)


Visualizado por 5

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
27 de maio
(1279) TRÍVIOLETRA TC / TS : PIPAS 2
P ipa abusada // TROÇA COM O VENTO // - asas do menino (1)
I mploro vento // corro e peço tempo // pra não cair o papagaio (2)
P apagaio mudo // preso por um fio // voa sem destino.(3)
A sas do menino vento // atravessam o tempo // caleidoscópio (4)
S em eira nem beira // coração ao vento,// minha pipa de brincar.(5)
Celinha Viol 1
Marco Bastos 2, 5
João P.C.Furtado 3
Lourdes Ramos 4


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
26 de maio
(1278) TRÍVIOLETRA (TC): QUIRERA
Q üem-qüem que gosta de muvuca // SÓ PIPOCA // - cabeça de pinduca (1)
U i, se lá pipila // só por novidade // pipoca não pinica (6)
I guaria celeste // quirera pra pintos // xerém pra homem.(7)
R ei na barriga // ufano no trombone // afinal só quirera. (2)
É para cachupa // nada xerém // grãos perfeitos.(5)
R indo a toa // arruaça // boiada, estouro na praça (3)
A renga pura // pra ave pequena // sentido em fritura (4)
Marco Bastos 1, 6
João P.C. Furtado 2, 5, 7
Celinha Viol 3
Dirce Carneiro 4
TRÍVIOLETRA (TS): QUIRERA
Q üem-qüem que gosta de muvuca // SÓ PIPOCA // - cabeça de pinduca (1)
R ei na barriga // ufano no trombone // afinal só quirera. (2)
R indo a toa // arruaça // boiada, estouro na praça (3)
A renga pura // pra ave pequena // sentido em fritura (4)
É para cachupa // nada xerém // grãos perfeitos.(5)
U i, se lá pipila // só por novidade // pipoca não pinica (6)
I guaria celeste // quirera pra pintos // xerém pra homem. (7)


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir

Curtir

Amei

Haha

Uau

Triste

Grr

Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
26 de maio
(1277) TRÍVIOLETRA (TC): ESTÁTUA.
E sta_tua pose!... // CORAÇÃO CONGELA // Tudo pedra, tudo bronze (1)
S ó brincadeira de criança // como está, fica // sai, licença (2)
T ua face fria // olhos de serpente // aço que liga (3)
À s intempéries, sóis e luas // resiste bem // - cai nos expurgos (5)
T em pedestal do tempo // muda a política // perde a razão de ser. (4)
A imagem viva // param, fazem selfie // moedas no chapéu (6)
U ma estátua viva // pura purpurina // brilho que já morreu (7)
Marco Bastos 1, 5, 7
Dirce Carneiro 2, 6
Celinha Viol 3
João P.C. Furtado 4
TRÍVIOLETRA (TS): ESTÁTUA.
E sta_tua pose!... // CORAÇÃO CONGELA // Tudo pedra, tudo bronze (1)
S ó brincadeira de criança // como está, fica // sai, licença (2)
T ua face fria // olhos de serpente // aço que liga (3)
T em pedestal do tempo // muda a política // perde a razão de ser. (4)
À s intempéries, sóis e luas // resiste bem // - cai nos expurgos (5)
A imagem viva // param, fazem selfie // moedas no chapéu (6)
U ma estátua viva // pura purpurina // brilho que já morreu (7)


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
26 de maio
(1276) TRÍVIOLETRA (TC): EM_TUPI.
E Araçatuba // fruta doce // - sou da roça sou do mato (3)
M urutinga, // MOSCA BRANCA OU ONÇA PRETA // - vou embora pra caatinga (1)
_
T ietê não tem pirá // abá sem piá // ypanema (2)
U i na boca // sopro, voa // espanta bicho mirim e usu (4)
P asso contrapasso // tropeça e cai // tontura e casca da jaca (5)
I nquieto pé-na-jaca // traz seu vulcão // - e acende meu cachimbo (6).
Marco Bastos 1, 6
Dirce Carneiro 2, 4
Celinha Viol 3
João P.C. Furtado 5
TRÍVIOLETRA (TS): EM_TUPI.
M urutinga, // MOSCA BRANCA OU ONÇA PRETA // - vou embora pra caatinga (1)
T ietê não tem pirá // abá sem piá // ypanema (2)
E Araçatuba // fruta doce // - sou da roça sou do mato (3)
U i na boca // sopro, voa // espanta bicho mirim e usu (4)
P asso contrapasso // tropeça e cai // tontura e casca da jaca (5)
I nquieto pé-na-jaca // traz seu vulcão // - e acende meu cachimbo (6).


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
26 de maio
(1275) TRÍVIOLETRA (TC): CRIAÇÃO
C hega o dilúvio // navegar é preciso // bendito raminho (5)
R ugi o Leão // ronrona o gatinho // voa a pomba da paz (3)
I rracional a bicharada // deu Noé // com os burros n´água (4)
A cobra faminta // o descuidado rato // que tentação. (6)
Ç ardinha // NA ARCA DE NOÉ // - não na lata de sardinha (1)
A os pares // espécies casadas // recriação pela água (7)
O lhos tocam primeiro // imagem // as palavras no fim (2)
Marco Bastos 1, 4
Celinha Viol 2
João P.C. Furtado 3, 6
Dirce Carneiro 5, 7
TRÍVIOLETRA (TS): CRIAÇÃO
Ç ardinha // NA ARCA DE NOÉ // - não na lata de sardinha (1)
O lhos tocam primeiro // imagem // as palavras no fim (2)
R ugi o Leão // ronrona o gatinho // voa a pomba da paz (3)
I rracional a bicharada // deu Noé // com os burros n´água (4)
C hega o dilúvio // navegar é preciso // bendito raminho (5)
A cobra faminta // o descuidado rato // que tentação (6).
A os pares // espécies casadas // recriação pela água (7)


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
26 de maio
(1274) TRÍVIOLETRA (TC): INVERNO.
I nverno enrustido // chama fria // nudez, cobertor de orelha (3)
N o inverno // OU FRENTE FRIA // - xoxolate (1)
V ento teimoso // touca rasgada // ira furtiva do sol (5)
E a pele arrepia // o ar de gelo // banho quente e edredon (2)
R io em gelo // chuva de neve // lareira com amigo livro. (6)
N ada como lua nua // mate no chá // brincadeira no ar (4)
O jogo na mesa // chama acesa // uivo do vento lá fora (7)
Marco Bastos 1, 4
Dirce Carneiro 2, 7
Celinha Viol 3
Rosemary Mizrahi 5
João P. C. Furtado 6
TRÍVIOLETRA (TS): INVERNO.
N o inverno // OU FRENTE FRIA // - xoxolate (1)
E a pele arrepia // o ar de gelo // banho quente e edredon (2)
I nverno enrustido // chama fria // nudez, cobertor de orelha (3)
N ada como lua nua // mate no chá // brincadeira no ar (4)
V ento teimoso // touca rasgada // ira furtiva do sol (5)
R io em gelo // chuva de neve // lareira com amigo livro. (6)
O jogo na mesa // chama acesa // uivo do vento lá fora (7)


Visualizado por 5

2
Celinha Viol e Marcia Portella
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
25 de maio
(1273) TRÍVIOLETRA TC: PIPAS 1
P edindo linha // vão buscando o infinito // fundem-se ao paraiso (2)
I magem de infância // grito, olho pro alto // dá linha Tião! (5)
P ela imaginação // sonhos de infância // pássaros de papel.(4)
A sas de papel // LIVRES, CONTRA O VENTO // voar e sonhar no azul (1)
S onhos soltos ao vento // vendaval de cores // vidas em movimento (3)
Celinha Viol 1
Maria Inez Alves.2
Lourdes Ramos 3
João P. C. Furtado 4
Dirce Carneiro 5
TRÍVIOLETRA TS: PIPAS
A sas de papel // LIVRES, CONTRA O VENTO // voar e sonhar no azul (1)
P edindo linha // vão buscando o infinito // fundem-se ao paraiso (2)
S onhos soltos ao vento // vendaval de cores // vidas em movimento (3)
P ela imaginação // sonhos de infância // pássaros de papel.(4)
I magem de infância // grito, olho pro alto // dá linha Tião! (5)


Visualizado por 5

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
25 de maio
(1972) TRÍVIOLETRA (TC): COISAS
C asa, asas, vinhos // E O ACONCHEGO // - chego cansado dos caminhos (1)
O fogo, o cheiro, lençóis // o som do mar // sou ave em seu ninho (2)
I nsignificante gesto // valor adido // coisa da vida. (6)
S inos sussuram ao vento // na chaleira a cura da dor // sonho (4)
A braço, colo, carinho // sossego na rede // chamego da paz (3)
S ão tralhas // é o passado // que está sempre presente (5)
Marco Bastos 1
Dirce Carneiro 2
Celinha Viol 3
Maria Inez Alves 4
Marcia Portella 5
João P.C. Furtado 6
TRÍVIOLETRA (TS): COISAS
C asa, asas, vinhos // E O ACONCHEGO // - chego cansado dos caminhos (1)
O fogo, o cheiro, lençóis // o som do mar // sou ave em seu ninho (2)
A braço, colo, carinho // sossego na rede // chamego da paz (3)
S inos sussuram ao vento // na chaleira a cura da dor // sonho (4)
S ão tralhas // é o passado // que está sempre presente (5)
I nsignificante gesto // valor adido // coisa da vida. (6)


Visualizado por 4

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
25 de maio
(1271) TRÍVIOLETRA (TC): PEDAÇOS
P arte oca // memória flutuante // vida calada (3)
E spelho quebrado, // não são cacos // são reflexos do único (2)
D e um lado, ponte // de outro, viagem // e o desejo de ficar (5)
A arte de viver : // SER INTEIRO // - no craquelê do tempo artista (1)
Ç ola - tudo, menino // ou faltou caco // da cabeça da mulher (7)
O bra do destino // ventania e o jarro // cacos espalhados (6).
S ilêncio e paz! // - frisson?? // foi o silêncio que te fez poeta (4)
Marco Bastos 1, 4, 7
Maria Inez Alves 2
Marcia Portella 3
Dirce Carneiro 5
João P.C. Furtado 6
TRÍVIOLETRA (TS): PEDAÇOS
A arte de viver : // SER INTEIRO // - no craquelê do tempo artista (1)
E spelho quebrado, // não são cacos // são reflexos do único (2)
P arte oca // memória flutuante // vida calada (3)
S ilêncio e paz! // - frisson?? // foi o silêncio que te fez poeta (4)
D e um lado, ponte // de outro, viagem // e o desejo de ficar (5)
O bra do destino // ventania e o jarro // cacos espalhados (6).
Ç ola - tudo, menino // ou faltou caco // da cabeça da mulher (7)


Visualizado por 4

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
25 de maio
(1270) TRÍVIOLETRA (TC): GOSMA
G rude, ectoplasma // GOSMA DE LESMA // baba de abantesma (1)
O sso duro // pulo, rodo, giro // lambança macabra (4)
S ó com abantesma na cacunda // grudo, babo // rolo na iracunda (3)
M ole gatinhar // sobre baba rola // destino in_certo. (2)
A pomba_gira // todo (e)vidente, barbaça // - graças cheias de pano (5)
Marco Bastos 1, 3, 5
João P.C. Furtado 2
Celinha Viol 4
TRÍVIOLETRA (TS): GOSMA
G rude, ectoplasma // GOSMA DE LESMA // baba de abantesma (1)
M ole gatinhar // sobre baba rola // destino in_certo. (2)
S ó com abantesma na cacunda // grudo, babo // rolo na iracunda (3)
O sso duro // pulo, rodo, giro // lambança macabra (4)
A pomba_gira // todo (e)vidente, barbaça // - graças cheias de pano (5)


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
25 de maio
(1269) TRÍVIOLETRA (TC): MOSCA
M uito bem. Vou virar pato // NA CABEÇA // um carrapato. (1)
O uvido o ronco // na sopa ou na garganta // visita incómoda. (4)
S eixas pôs na sopa // a cuca pirou? // - maluco que nada! (2)
C ai no prato // chilique no bar // quá quá quá - engoli sapo (3)
A varejeira-avião // bronca ronca // na garganta do João (5)
Marco Bastos 1, 5
Dirce Carneiro 2
Celinha Viol 3
João P.C. Furtado 4
M uito bem. Vou virar pato // NA CABEÇA // um carrapato. (1)
S eixas pôs na sopa // a cuca pirou? // - maluco que nada! (2)
C ai no prato // chilique no bar // quá quá quá - engoli sapo (3)
O uvido o ronco // na sopa ou na garganta // visita incómoda. (4)
A varejeira-avião // bronca ronca // na garganta do João (5)


Visualizado por 4

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
23 de maio
(1268) TRÍVIOLETRA TC : PIXOTE
P ichechéu e Xapulé // noite alta // carvão na cara do mundo (2)
I nsaciável desejo // cartas marcadas // jogo viciado.(3)
X inga com pincel // protestos no xadrez // afronta o rei.(6)
O nde feridas que ferem // são escondidas do mundo // abandono (4)
T intas nos muros do tempo // PROTESTOS // - o jogo incerto da vida (1)
E grito incontido // livro a céu aberto // fala tatuada (5)
Celinha Viol 1
Marco Bastos 2
.João P. C. Furtado 3, 6
Lourdes Ramos 4
Dirce Carneiro 5
TRÍVIOLETRA TS : PIXOTE
T intas nos muros do tempo // PROTESTOS // - o jogo incerto da vida (1)
P ichechéu e Xapulé // noite alta // carvão na cara do mundo (2)
I nsaciável desejo // cartas marcadas // jogo viciado.(3)
O nde feridas que ferem // são escondidas do mundo // abandono (4)
E grito incontido // livro a céu aberto // fala tatuada (5)
X inga com pincel // protestos no xadrez // afronta o rei.(6)


Visualizado por 6

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir

Curtir

Amei

Haha

Uau

Triste

Grr

Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
23 de maio
(1267) TRÍVIOLETRA TC : CIGANA
C olar, saia longa, dente de ouro // dança gira // olhos mouros (5)
I nveja de Vênus // vestida de sol // errante jornada (6)
G ingando coloridas saias // enigmas reveladores // dá sorte! (4)
A ndarilha // ENTRE VÉUS // - o destino na palma da mão (1)
N unca // leio o que a mão escreveu // no verso, leio, a mão que se abriu (2)
A sorte nos cortes // palmas riscadas // futuro místico.(3)
Celinha Viol 1
Marco Bastos 2
João P.C. Furtado 3
Lourdes Ramos 4
Dirce Carneiro 5
Rosemary S.Mizrahi 6
TRÍVIOLETRA TS : CIGANA
A ndarilha // ENTRE VÉUS // - o destino na palma da mão (1)
N unca // leio o que a mão escreveu // no verso, leio, a mão que se abriu (2)
A sorte nos cortes // palmas riscadas // futuro místico.(3)
G ingando coloridas saias // enigmas reveladores // dá sorte! (4)
C olar, saia longa, dente de ouro // dança gira // olhos mouros (5)
I nveja de Vênus // vestida de sol // errante jornada (6)


Visualizado por 5

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
21 de maio
(1266) TRÍVIOLETRA (TC): CANTOS
C antar, o mais que cantasse // oh! dor // declarar a quem se pranteia (2)
A dor chora // no mar - canto do encanto // arroubo e lamurias (4)
N aus à deriva // êxtase e agonia // encantos traidores (3)
T ristes velas, carga perdida // silente maruja // dor encantada (5)
O meu Canto // onde o poema teima // canta o silêncio.(6)
S e o mar quebranto o mar quebrasse // EM CHORO E PRANTO // tontas sereias (1)
Marco Bastos 1
Dirce Carneiro 2
Maria Inez Alves 3
Celinha Viol 4
Rosemary Mizrahi 5
João P.C. Furtado 6
TRÍVIOLETRA (TS): CANTOS
S e o mar quebranto o mar quebrasse // EM CHORO E PRANTO // tontas sereias (1)
C antar, o mais que cantasse // oh! dor // declarar a quem se pranteia (2)
N aus à deriva // êxtase e agonia // encantos traidores (3)
A dor chora // no mar - canto do encanto // arroubo e lamurias (4)
T ristes velas, carga perdida // silente maruja // dor encantada (5)
O meu Canto // onde o poema teima // canta o silêncio.(6)


Visualizado por 6

3
Celinha Viol, Maria Inez Alves e Dirce Carneiro
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
21 de maio
(1265) TRÍVIOLETRA (TC): COLOSSO
C ercado de sombras // olhar intenso // - brilho maior que a dor (5)
O h! não há sol mais bonito // QUE O SOL QUE SE VÊ // - do fundo do poço (1)
L uz e trevas // sóis e breu // abismo, mito das cavernas (7)
O lhos alcançam a vista // o poente no horizonte // crepúsculo (3)
S ucumbe no poço // grita o gigante // Sol que vê não salva. (2)
S ombra da dor // brilho da fama // estátua e arco-íris.(6)
O nadir, trevas // Sol a pino, zênite // buraco fundo, podridão. (4)
Marco Bastos 1, 4
João P.C. Furtado 2, 6
Dirce Carneiro 3, 7
Celinha Viol 5
TRÍVIOLETRA (TS): COLOSSO
O h! não há sol mais bonito // QUE O SOL QUE SE VÊ // - do fundo do poço (1)
S ucumbe no poço // grita o gigante // Sol que vê não salva. (2)
O lhos alcançam a vista // o poente no horizonte // crepúsculo (3)
O nadir, trevas // Sol a pino, zênite // buraco fundo, podridão. (4)
C ercado de sombras // olhar intenso // - brilho maior que a dor (5)
S ombra da dor // brilho da fama // estátua e arco-íris (6)
L uz e trevas // sóis e breu // abismo, mito das cavernas (7)


Visualizado por 7

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
21 de maio
(1264) TRÍVIOLETRA (TC): CANDEIA.
C erto , há vento e há mar // no mar é o evento // o encontro, no lar (6)
A brisa e a chama // lampiões // alegria - cidade a beira mar (2)
N o Recôncavo // CANDEIAS NA BAIA // - pelas luzes vistas do mar (1)
D e noite, mar escuro // no retorno // luzes das casas a embalar (3)
E nfeita o brilho // mar e tempestade // apaga o pavio. (7)
I çadas flanam // no mistério profundo // suavemente (4)
A lumia a luz // Candeias de petróleo // Ba(h)ia dos Milagres. (5)
Marco Bastos 1, 3, 6
Celinha Viol 2
Marcia Portella 4
João P.C. Furtado 5, 7
TRÍVIOLETRA (TS): CANDEIA.
N o Recôncavo // CANDEIAS NA BAIA // - pelas luzes vistas do mar (1)
A brisa e a chama // lampiões // alegria - cidade a beira mar (2)
D e noite, mar escuro // no retorno // luzes das casas a embalar (3)
I çadas flanam // no mistério profundo // suavemente (4)
A lumia a luz // Candeias de petróleo // Ba(h)ia dos Milagres. (5)
C erto , há vento e há mar // no mar é o evento // o encontro, no lar (6)
E nfeita o brilho // mar e tempestade // apaga o pavio. (7)


Visualizado por 7

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
21 de maio
(1263) TRÍVIOLETRA (TC): GORJEIO
G rave é o bem-te-vi // na nota e no sotaque // será qu' eu vi? (4)
O sabiá melodioso // em notas rápidas // encanta (2)
R ente ao chão esvoaça // ave que vem e passa // canta em paz (3)
J á que a Terra chora // a noite // não cantou nem carcará (7)
E ra um passarinho // ARREPIADO // canto baixinho na manhã (1)
I nda que a terra chore // no alto da palmeira // canta o sabiá (6)
O ndas sonoras // madrugada em festa // canta a natureza. (5)
Marco Bastos 1, 7
Márcia Portella 2
Elischa Dewes 3
Hércio Afonso 4
João P. C. Furtado 5
Dirce Carneiro 6
TRÍVIOLETRA (TS): GORJEIO
E ra um passarinho // ARREPIADO // canto baixinho na manhã (1)
O sabiá melodioso // em notas rápidas // encanta (2)
R ente ao chão esvoaça // ave que vem e passa // canta em paz (3)
G rave é o bem-te-vi // na nota e no sotaque // será qu' eu vi? (4)
O ndas sonoras // madrugada em festa // canta a natureza. (5)
I nda que a terra chore // no alto da palmeira // canta o sabiá (6)
J á que a Terra chora // a noite // não cantou nem carcará (7)


Visualizado por 7

3
Celinha Viol, Maria Inez Alves e Hércio Afonso
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Marco Bastos
15 de maio
(1.262) TRÍVIOLETRA (TC): DEBUSSY
D anças delicadas // devaneios em anil // claros de luar (4)
E spalha ondas // acaricia teclas // dedos mágicos. (5)
B em leve // notas flutuam // sons que voam no infinito (6)
U m nascer do Sol // MAR AZUL CRISTALINO // piano que arpeja (1)
S ão notas no ar // as ondas do mar // emoções a pulsar (2)
S om de nuvens que passam // janelas que embaçam // som de chuva a escorrer (3)
Y atchs, saveiros, horizonte // água e fonte // navegar é preciso (7)
Marco Bastos 1, 7
Dirce Carneiro 2
Elischa Dewes 3
Maria Inez Alves 4
João P. C. Furtado 5
Marcia Portella 6
TRÍVIOLETRA (TS): DEBUSSY
U m nascer do Sol // MAR AZUL CRISTALINO // piano que arpeja (1)
S ão notas no ar // as ondas do mar // emoções a pulsar (2)
S om de nuvens que passam // janelas que embaçam // som de chuva a escorrer (3)
D anças delicadas // devaneios em anil // claros de luar (4)
E spalha ondas // acaricia teclas // dedos mágicos. (5)
B em leve // notas flutuam // sons que voam no infinito (6)
Y atchs, saveiros, horizonte // água e fonte // navegar é preciso (7)


Visualizado por 6

3
Você, Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Um administrador desativou os comentários desta publicação.





Marco Bastos
15 de maio
(1.261) TRÍVIOLETRA (TC): AVÔ_AÇÃO
A lcança as nuvens // voo noturno // - estrelas no chão (3)
V em e volta // CORRE NA PISTA // - estradas mais perto das estrelas (1)
Ô saudoso DC 3 // pujança // vanguardista nas pistas (5)
_
A vô dos aviões // pioneiros // pistas de terra e nevoeiros (4)
Ç aça piratas // invasor à vista // abate em voo livre (2)
à sas pra que te quero // tem tanto céu // e tanto chão. (6)
O sonho humano // asas de metal // utopia do Júlio Vernes. (7)
Marco Bastos 1, 4, 6
Dirce Carneiro 2
Celinha Viol 3, 5
João P. C. Furtado 7
TRÍVIOLETRA (TS): AVÔ_AÇÃO
V em e volta // CORRE NA PISTA // - estradas mais perto das estrelas (1)
Ç aça piratas // invasor à vista // abate em voo livre (2)
A lcança as nuvens // voo noturno // - estrelas no chão (3)
A vô dos aviões // pioneiros // pistas de terra e nevoeiros (4)
Ô saudoso DC 3 // pujança // vanguardista nas pistas (5)
à sas pra que te quero // tem tanto céu // e tanto chão. (6)
O sonho humano // asas de metal // utopia do Júlio Vernes. (7)


Visualizado por 6

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Um administrador desativou os comentários desta publicação.





Marco Bastos
14 de maio
(1.260) TRÍVIOLETRA (TC): FENDAS
F endas e lendas // NA FESTA // - o brilho do círio, a cera que resta (1)
E xalam os cheiros // vinho e temperos // sanfona e quentão (5)
N a luz entre vãos // roda que roda // nada real - giro da vida (2)
D ragão de São Jorge // lenda, fendas na história // não houve a tal festa (6)
À luz do círio // noite vela // rezas - juntos pela fé (3)
S amba nos pés // decote no colo // saias, e brechas - cabrochas (4)

Marco Bastos 1, 6
Marcia Portella 2
Celinha Viol 3
João P.C. Furtado 4
Dirce Carneiro 5
TRÍVIOLETRA (TS): FENDAS
F endas e lendas // NA FESTA // - o brilho do círio, a cera que resta (1)
N a luz entre vãos // roda que roda // nada real - giro da vida (2)
À luz do círio // noite vela // rezas - juntos pela fé (3)
S amba nos pés // decote no colo // saias, e brechas - cabrochas (4)
E xalam os cheiros // vinho e temperos // sanfona e quentão (5)
D ragão de São Jorge // lenda, fendas na história // não houve a tal festa (6)


Visualizado por 7

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Um administrador desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
12 de maio
(1259) TRÍVIOLETRA TC : MUDO
M udo, quedo, vencido // PALAVRA NÃO DITA // arde no peito (1)
U rdir sinais // falar com as mãos // desatar códigos (4)
D ialogo em silêncio // angústia e medo // nó na garganta. (2)
O dó e o nó // o tranco na fala // só cala poema sem mote (3)
Celinha Viol 1
João P.C.Furtado 2
Marco Bastos 3
Dirce Carneiro 4
TRÍVIOLETRA TS : MUDO
M udo, quedo, vencido // PALAVRA NÃO DITA // arde no peito (1)
D ialogo em silêncio // angústia e medo // nó na garganta. (2)
O dó e o nó // o tranco na fala // só cala poema sem mote (3)
U rdir sinais // falar com as mãos // desatar códigos (4)


Visualizado por 4

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
12 de maio
(1258) TRÍVIOLETRA (TC) : ABRASAR
A lva aura // toca, queima // despe, lavra - fúria e calmaria (5)
B risa que passa // ME TIRE DA NEVE // - me leve - no seu sussurrar. (1)
R io de lava // inverno, inferno // coração congelado. (3)
A ssusta fagulha // arde, consome // restam cinzas.(6)
S ol boceja // traz o brilho no olhar // aninha meu dormitar (2)
A brisa aviva o fogo // leva o barco // e apaga velas (7)
R esseca meu choro // em rimas cansadas // sem brilho, sem nada (4)
Marco Bastos 1, 7
Marcia Portella 2
João P.C. Furtado 3, 6
Rosemary S. Mizrahi 4
Celinha Viol 5
TRÍVIOLETRA (TS) : ABRASAR
B risa que passa // ME TIRE DA NEVE // - me leve - no seu sussurrar. (1)
S ol boceja // traz o brilho no olhar // aninha meu dormitar (2)
R io de lava // inverno, inferno // coração congelado. (3)
R esseca meu choro // em rimas cansadas // sem brilho, sem nada (4)
A lva aura // toca, queima // despe, lavra - fúria e calmaria (5)
A ssusta fagulha // arde, consome // restam cinzas.(6)
A brisa aviva o fogo // leva o barco // e apaga velas (7)


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir

Curtir

Amei

Haha

Uau

Triste

Grr

Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
6 de maio
(1257) TRÍVIOLETRA TC : RELÓGIO
R itmo do tempo que escapole // fluir da vida // eternidade (3)
E m tempos de tempo troncho // qual caruncho // - tempo-traça (6)
L ouco relógio // derrama o tempo // - noites de grilos, solavancos (2)
Ó lhos do tempo // senhor das horas // devora a vida (7)
G osta do giro // marca sem dó // atrasa no descuido (4)
I mparcial marca // tic-tac o Big Ben // gira no eixo.(5)
O tic - tac acelera // O TEMPO PASSA // - eterniza o momento (1)
Celinha Viol 1
Marco Bastos 2, 6
Lourdes Ramos 3
Marcia Portella 4
João P. C. Furtado 5
Dirce Carneiro 7
TRÍVIOLETRA TS : RELÓGIO
O tic - tac acelera // O TEMPO PASSA // - eterniza o momento (1)
L ouco relógio // derrama o tempo // - noites de grilos, solavancos (2)
R itmo do tempo que escapole // fluir da vida // eternidade (3)
G osta do giro // marca sem dó // atrasa no descuido (4)
I mparcial marca // tic-tac o Big Ben // gira no eixo.(5)
E m tempos de tempo troncho // qual caruncho // - tempo-traça (6)
Ó lhos do tempo // senhor das horas // devora a vida (7)


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
6 de maio
(1256) TRÍVIOLETRA TC : ATALHO.
A lém da ponte // NÉVOA ABRAÇA OS ARBUSTOS // - folhas de outono (1)
T raquitanas nos atalhos // folhas secas // compassos, sons e passos (2)
A s cegas tropeçando // tateando entre vultos // em meus fantasmas (3)
L obo espia // Capuchinho Vermelho // Atalho da perdição…(4)
H ora da decisão // cruzar a margem // trilhar o novo (6)
O ra, ao longe vozes roucas // invisíveis // espreitas insuspeitas (5)
Celinha Viol 1
Marco Bastos 2
Lourdes Ramos 3
João P. C. Furtado 4
Maria Inez Alves 5
Dirce Carneiro 6
TRÍVIOLETRA TS : ATALHO.
A lém da ponte // NÉVOA ABRAÇA OS ARBUSTOS // - folhas de outono (1)
T raquitanas nos atalhos // folhas secas // compassos, sons e passos (2)
A s cegas tropeçando // tateando entre vultos // em meus fantasmas (3)
L obo espia // Capuchinho Vermelho // Atalho da perdição…(4)
O ra, ao longe vozes roucas // invisíveis // espreitas insuspeitas (5)
H ora da decisão // cruzar a margem // trilhar o novo (6)


Visualizado por 4

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
6 de maio
(1255) TRÍVIOLETRA (TC): NATURA.
N a mata verde // em silêncio // um guizo - serpenteia o caminho (5)
A s garças alvadias // canto da arara // nas baias - o pantaneiro (3)
T uiuiús em bandos // chalana faceira // ninhos de guaxe (2)
U ma aurora, uma arara // SOBRE UM RIO // adeus, meu Pantanal (1)
R ara piapara // pacu redonda lua escura // - rio que morre (6)
A raguaia // rio das araras vermelhas // tupi guarani (4)
Marco Bastos 1, 6
Maria Inez Alves 2
Celinha Viol 3
Marcia Portella 4
Dirce Carneiro 5
TRÍVIOLETRA (TS): NATURA.
U ma aurora, uma arara // SOBRE UM RIO // adeus, meu Pantanal (1)
T uiuiús em bandos // chalana faceira // ninhos de guaxe (2)
A s garças alvadias // canto da arara // nas baias - o pantaneiro (3)
A raguaia // rio das araras vermelhas // tupi guarani (4)
N a mata verde // em silêncio // um guizo - serpenteia o caminho (5)
R ara piapara // pacu redonda lua escura // - rio que morre (6)


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
4 de maio
(1254) TRÍVIOLETRA TC : BECO.
B eco, bico, lixo // BRILHO SOMBRIO // ratazanas e mariposas (1)
E co! boca do lixo // só bicho // só boneco.(2)
Caminho sombrio // destino de sombras // naufrágio de amores (4)
O nde detritos e delitos // fitam vesgos // perifericamente (3)
Celinha Viol 1
Marco Bastos 2
Lourdes Ramos 3
Rosemary S. Mizrahi 4
TRÍVIOLETRA TS : BECO.
B eco, bico, lixo // BRILHO SOMBRIO // ratazanas e mariposas (1)
E co! boca do lixo // só bicho // só boneco.(2)
O nde detritos e delitos // fitam vesgos // perifericamente (3)
Caminho sombrio // destino de sombras // naufrágio de amores (4)


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
4 de maio
(1253) TRÍVIOLETRA (TC): GAGUEJO
G agaroa e mamarolas // barbarco fufurado // la lasquei me (2)
A gogora // hohora de gaguegueejar ? // e a Lalá no mar ? (3)
G rigrito em alto - mar // que que sufoco // é é Lalá ou Zezé? (6)
U nha quebrada // pontapé na pedra // gago engasgado. (7)
E u fufu, e fui pepescar // MIMI MINHONHOCA // - Lálá no mar (1)
J ujujuro nanão gagaguejo // uuu // toutou cacansado… (4)
ÓÓ dio! quanto engasgo // uum orgasmo // pra escrever cá caraminholas (5)
Marco Bastos 1, 3, 5
Celinha Viol 2, 6
João P.C. Furtado 4, 7
TRÍVIOLETRA (TS): GAGUEJO
E u fufu, e fui pepescar // MIMI MINHONHOCA // - Lálá no mar (1)
G agaroa e mamarolas // barbarco fufurado // la lasquei me (2)
A gogora // hohora de gaguegueejar ? // e a Lalá no mar ? (3)
J ujujuro nanão gagaguejo // uuu // toutou cacansado… (4)
ÓÓ dio! quanto engasgo // uum orgasmo // pra escrever cá caraminholas (5)
G rigrito em alto - mar // que que sufoco // é é Lalá ou Zezé? (6)
U nha quebrada // pontapé na pedra // gago engasgado. (7)


Visualizado por 5

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
27 de abril
(1252) TRÍVIOLETRA (TC): OFUSCA
Ó culos opacos // eclipse solar // tateando na rua.(4)
F aróis de neblina // HÁ OLHARES QUE NÃO BRILHAM // - vida na tristeza (1)
Ú mido olhar // embaçado // tristeza na beleza (5)
S óis enclausurados // nevoa em espreita // espera do momento (2)
C aminho estreito // trilhas opacas // vielas escuras (6)
A s nuvens cobrem a luz // céu de inverno // um gelo no olhar (3)
Marco Bastos 1
Maria Inez Alves 2
Dirce Carneiro 3
João P.C. Furtado 4
Celinha Viol 5
Marcia Portella 6
TRÍVIOLETRA (TS): OFUSCA
F aróis de neblina // HÁ OLHARES QUE NÃO BRILHAM // - vida na tristeza (1)
S óis enclausurados // nevoa em espreita // espera do momento (2)
A s nuvens cobrem a luz // céu de inverno // um gelo no olhar (3)
Ó culos opacos // eclipse solar // tateando na rua.(4)
Ú mido olhar // embaçado // tristeza na beleza (5)
C aminho estreito // trilhas opacas // vielas escuras (6)


Visualizado por 5

3
Você, Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
27 de abril
(1251) TRÍVIOLETRA (TC): TENDA
T reme; virgem dança // Tenda do Sultão // rainha e concubinas. (3)
E na areia quente // véus, pedrarias // e o brilho de tantas luas (5)
N a senda, na lenda // sedento de piabas // e a tenda das diabas (4)
D eserto, terra e fogo // ODALISCA //- alento em peles de carneiro (1)
A rde o sol // miragem no deserto // - na tenda a dança do ventre. (2)
Marco Bastos 1. 4
Celinha Viol 2, 5
João P.C. Furtado 3
TRÍVIOLETRA (TS): TENDA
D eserto, terra e fogo // ODALISCA //- alento em peles de carneiro (1)
A rde o sol // miragem no deserto // - na tenda a dança do ventre. (2)
T reme; virgem dança // Tenda do Sultão // rainha e concubinas. (3)
N a senda, na lenda // sedento de piabas // e a tenda das diabas (4)
E na areia quente // véus, pedrarias // e o brilho de tantas luas (5)


Visualizado por 5

1
Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
27 de abril
(1250) TRÍVIOLETRA TC : FAROL
F acho de luz // olhos da noite // há mar e há terra.(5)
A luz no rochedo // GUIA NOTURNO // linha de chegada (1)
R umo certo // lúmen navegante // olho do cais (2)
O lhos e abrolhos // nas pedras do mar // - há passagens seguras.(4)
L uz de sereia // canto que engana // perigo à vista.(3)
Celinha Viol 1
Marcia Portella 2
João P. C. Furtado 3, 5
Marco Bastos 4
TRÍVIOLETRA TS : FAROL
A luz no rochedo // GUIA NOTURNO // linha de chegada (1)
R umo certo // lúmen navegante // olho do cais (2)
L uz de sereia // canto que engana // perigo à vista.(3)
O lhos e abrolhos // nas pedras do mar // - há passagens seguras.(4)
F acho de luz // olhos da noite // há mar e há terra.(5)


1 comentárioVisualizado por 6

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Marcia Portella Lindo!!
Gerenciar

Curtir · 33 sem
Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
27 de abril
(1249) TRÍVIOLETRA TC : TETO.
T uas asas cobrem-me // e as estrelas estão // a me chamar.. (2)
E strelas brilhantes // noite de lua cheia // telhado sem telhas.(4)
T elhado troncho e quebrado // se não tem aconchego // tem pote (3)
O porto seguro // ACONCHEGO // pingos de chuva (1)
Celinha Viol 1
Lourdes Ramos 2
Marco Bastos 3
João P. C. Furtado 4
TRÍVIOLETRA TS : TETO.
O porto seguro // ACONCHEGO // pingos de chuva (1)
T uas asas cobrem-me // e as estrelas estão // a me chamar.. (2)
T elhado troncho e quebrado // se não tem aconchego // tem pote (3)
E strelas brilhantes // noite de lua cheia // telhado sem telhas.(4)


Visualizado por 5

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
25 de abril
(1248) TRÍVIOLETRA TC: ARTESÃO
A procura do belo // MAGIA NAS MÃOS // arte - criação (1)
R endilha o sonho // mãos com arte // dá vida (3)
T alento e trabalho // paciência // inspiração (2)
E scola da vida // pai para filho // o saber e o pão (5)
S uja as mãos // molda o barro // arte ancestral.(6)
à gua modela // vasos floridos // barro desliza entre as mãos (4)
O homem e a obra // no todo, ponta a ponta // bom saber: fazer para o quê.(7)
Celinha Viol 1, 4
Dirce Carneiro 2
João P. C. Furtado 3, 6
Marco Bastos 5, 7
TRÍVIOLETRA TS: ARTESÃO
A procura do belo // MAGIA NAS MÃOS // arte - criação (1)
T alento e trabalho // paciência // inspiração (2)
R endilha o sonho // mãos com arte // dá vida (3)
à gua modela // vasos floridos // barro desliza entre as mãos (4)
E scola da vida // pai para filho // o saber e o pão (5)
S uja as mãos // molda o barro // arte ancestral.(6)
O homem e a obra // no todo, ponta a ponta // bom saber: fazer para o quê.(7)


Visualizado por 6

3
Você, Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
24 de abril
(1247) TRÍVIOLETRA (TC): BANZO
B ate saudade // DO QUE NEM SEI // aí canto e cantei (1)
A quela vida pacata // descalço e meio nu // doce infância.(4)
N ostalgia // canto saudoso // cativo... verde vale de ninguém (3)
Z onzo de mar // linha do horizonte // albatrozes ao vento (5)
O doce da vida // o figo e a cereja // que bom, assim seja (2)
Rosemary S. Mizrahi 1
Marco Bastos 2, 5
Celinha Viol 3
João P.C. Furtado 4
TRÍVIOLETRA (TS): BANZO
B ate saudade // DO QUE NEM SEI // aí canto e cantei (1)
O doce da vida // o figo e a cereja // que bom, assim seja (2)
N ostalgia // canto saudoso // cativo... verde vale de ninguém (3)
A quela vida pacata // descalço e meio nu // doce infância.(4)
Z onzo de mar // linha do horizonte // albatrozes ao vento (5)


Visualizado por 7

4
Você, Celinha Viol, Marcia Portella e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
24 de abril
(1246) TRÍVIOLETRA TC : ACÁCIA.
A copa dourada // encima a trilha // um chapéu que brilha (3)
C achos de princesa // PINGOS DE OURO // o dia em amarelo (1)
Á legre natureza // sombra e beleza // abrandando os caminhos (5)
C orre corre no caminho // em busca do tesouro // ouro é ouro (2)
I magem celeste // Acácia Amarela // ouro maçônico (4)
A belhas // tantos sabores // estrada linda com teto de flores (6)
Celinha Viol 1, 6
Marco Bastos 2, 5
Dirce Carneiro 3
João P. C. Furtado 4
TRÍVIOLETRA TS : ACÁCIA.
C achos de princesa // PINGOS DE OURO // o dia em amarelo (1)
C orre corre no caminho // em busca do tesouro // ouro é ouro (2)
A copa dourada // encima a trilha // um chapéu que brilha (3)
I magem celeste // Acácia Amarela // ouro maçônico (4)
Á legre natureza // sombra e beleza // abrandando os caminhos (5)
A belhas // tantos sabores // estrada linda com teto de flores (6)


Visualizado por 6

4
Você, Celinha Viol, Marcia Portella e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
24 de abril
(1245) TRÍVIOLETRA (TC): GRACEJO
G a gue gu // CATIMBINHA DA MAMÃE // mingauzinho na boquinha (1)
R ala o joelho // tombo "feio"// chorinho, faz manha, quer colinho (5)
A viãozinho // bilu, bilu // biquinho (2)
C huquinha no cabelo // açuquinha na chupeta // nana neném (3)
E ngatinha. Começa a andar // cai no chão, faz beicinho // lambe o cão (4)
J ujuba, pirulito // beijoca da mamãe // piscadela marota (6)
O lhos brilhantes // sonho realizado // terno sorriso.(7)
Marco Bastos 1, 4
Dirce Carneiro 2
Celinha Viol 3, 5
Maria Inez Alves 6
João P.C. Furtado 7
TRÍVIOLETRA (TS): GRACEJO
G a gue gu // CATIMBINHA DA MAMÃE // mingauzinho na boquinha (1)
A viãozinho // bilu, bilu // biquinho (2)
C huquinha no cabelo // açuquinha na chupeta // nana neném (3)
E ngatinha. Começa a andar // cai no chão, faz beicinho // lambe o cão (4)
R ala o joelho // tombo "feio"// chorinho, faz manha, quer colinho (5)
J ujuba, pirulito // beijoca da mamãe // piscadela marota (6)
O lhos brilhantes // sonho realizado // terno sorriso.(7)


Visualizado por 6

4
Você, Celinha Viol, Marcia Portella e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
20 de abril
(1244) TRÍVIOLETRA TC : PLANTIO
P eito de sonhos // semente de esperanças // multiplica o pão.(2)
L ida de promessas // corpo que aceita // colheita do amanhã (3)
A s sementes espalham // do céu as gotas // tudo renasce.(7
N o plantando, tudo dá // planto a abobrinha // e um pé de manacá(4)
T rabalho e cantoria // causos regados // magia (5)
I ntenso olhar // na terra, no céu // água da chuva acalma a alma (6)
O frescor dos campos molhados // TERRA ÚMIDA // acolhe a semente (1)
Celinha Viol 1
.João P. C. Furtado 2, 7
Maria Inez Alves 3
Marco Bastos 4
Dirce Carneiro 5
Vania de Castro 6
TRÍVIOLETRA TS : PLANTIO
O frescor dos campos molhados // TERRA ÚMIDA // acolhe a semente (1)
P eito de sonhos // semente de esperanças // multiplica o pão.(2)
L ida de promessas // corpo que aceita // colheita do amanhã (3)
N o plantando, tudo dá // planto a abobrinha // e um pé de manacá(4)
T rabalho e cantoria // causos regados // magia (5)
I ntenso olhar // na terra, no céu // água da chuva acalma a alma (6)
A s sementes espalham // do céu as gotas // tudo renasce.(7)


Visualizado por 7

3
Celinha Viol, Marcia Portella e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
20 de abril
(1243) TRÍVIOLETRA (TC): ENGASGA
E mperra ou engrimpa // VEM CÁ // que eu empurro. (1)
N ão desce // teimoso // não mexe, nem que a vaca tussa (2)
G eralmente saca-rolhas // se falham outras medidas // mata o bolha (7)
A ssim, nem no tranco // empena ou espana? // - pepino ou abacaxi! (4)
S us, urgente // Samu // resolve no susto (5)
G eme e torce // palmadas e socos // maldita carne rija… (3)
A gua inútil // trancou e bem // trabalho para médico. (6)
Marco Bastos 1, 7
Celinha Viol 2
João P. C. Furtado 3, 6
Vania de Castro 4
Dirce Carneiro 5
TRÍVIOLETRA (TS): ENGASGA
E mperra ou engrimpa // VEM CÁ // que eu empurro. (1)
N ão desce // teimoso // não mexe, nem que a vaca tussa (2)
G eme e torce // palmadas e socos // maldita carne rija… (3)
A ssim, nem no tranco // empena ou espana? // - pepino ou abacaxi! (4)
S us, urgente // Samu // resolve no susto (5)
A gua inútil // trancou e bem // trabalho para médico. (6)
G eralmente saca-rolhas // se falham outras medidas // mata o bolha (7)


Visualizado por 6

3
Celinha Viol, Marcia Portella e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
20 de abril
(1242) TRÍVIOLETRA (TC): ESTÁTUA.
E spreita imóvel // fascina // presença constantemente muda (2)
S entisse e visse // tanta malandragem… // tanta confidência (7)
T ez, mármore e alabastro // DIVA // luar dentro da pedra (1)
A vida em enigma // parou no tempo // fixa, fita (4)
T em arte certa // respira quase nada // maldita mosca… (3)
U m tiro na mosca // grito na goela // chega de vela e panela (5)
A musa solitária // translúcida // cópia da beleza pura (6)
Marco Bastos 1, 5
Maria Inez Alves 2
João P.C. Furtado 3, 7
Dirce Carneiro 4
Celinha Viol 6
TRÍVIOLETRA (TS): ESTÁTUA.
T ez, mármore e alabastro // DIVA // luar dentro da pedra (1)
E spreita imóvel // fascina // presença constantemente muda (2)
T em arte certa // respira quase nada // maldita mosca… (3)
A vida em enigma // parou no tempo // fixa, fita (4)
U m tiro na mosca // grito na goela // chega de vela e panela (5)
A musa solitária // translúcida // cópia da beleza pura (6)
S entisse e visse // tanta malandragem… // tanta confidência (7)


Visualizado por 6

3
Você, Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir

Curtir

Amei

Haha

Uau

Triste

Grr

Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
20 de abril
(1241)TRÍVIOLETRA (TC): VORAZ.
V ivo, passa o tempo // GRAÇA E GRASSA // fruta e pupa - passa e traça (1)
O ra a chuva, ora a praça // nesta taça // marshmelow e uva-passa (3)
R esta a pança // engole e cospe // rebola e dança (4)
Á vido // tempo de tudo se apodera // insaciável comilão (5)
Z ombeteiro // tudo quer // arrulha e laça (2)
Marco Bastos 1, 3
Maria Inez Alves 2
João P.C. Furtado 4
Celinha Viol 5
TRÍVIOLETRA (TS): VORAZ.
V ivo, passa o tempo // GRAÇA E GRASSA // fruta e pupa - passa e traça (1)
Z ombeteiro // tudo quer // arrulha e laça (2)
O ra a chuva, ora a praça // nesta taça // marshmelow e uva-passa (3)
R esta a pança // engole e cospe // rebola e dança (4)
Á vido // tempo de tudo se apodera // insaciável comilão (5)


Visualizado por 5

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
18 de abril
(1240) TRÍVIOLETRA TC : CASEBRE
C asa pequenina // PAZ, ACONCHEGO // cheiro bom, lenha no fogão (1)
A lua baila por entre os dedos / dos pirilampos / doce magia..(2)
S om de uma viola // a terra flora // e na mesa o pão (6)
E paraíso intocado // a canção // almas em oração(3)
B em pobre o casebre // um coelho, uma lebre // tão rico o pirão (7)
R e_canto d´alma // com amor pão água // paraíso eterno.(4)
E a rede balança // ao sabor do vento // pra lá e pra cá.(5)
Celinha Viol 1, 6
Lourdes Ramos 2
Dirce Carneiro 3
.João P. C. Furtado 4
Vania de Castro 5
Marco Bastos 7
TRÍVIOLETRA TS : CASEBRE
C asa pequenina // PAZ, ACONCHEGO // cheiro bom, lenha no fogão (1)
A lua baila por entre os dedos / dos pirilampos / doce magia..(2)
E paraíso intocado // a canção // almas em oração(3)
R e_canto d´alma // com amor pão água // paraíso eterno.(4)
E a rede balança // ao sabor do vento // pra lá e pra cá.(5)
S om de uma viola // a terra flora // e na mesa o pão (6)
B em pobre o casebre // um coelho, uma lebre // tão rico o pirão (7)


Visualizado por 6

3
Você, Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
18 de abril
(1239) TRÍVIOLETRA (TC): CACHOS
C aracóis, revoltos mares // NOS TEUS CABELOS // surfando as ondas (1)
A moda roda // vem chapinha, vão-se os bobs // teus sonhos ... loiros cachos (4)
C arapinha enrolada // finta e drible // efeito deslumbrante (6)
H oras a enrolar // espera // efeitos inesperados (3)
O fio longo // brilha ao sol // em brancas nuvens (5)
S ão castanhos // enrolados em seus dedos // no arrepio do afago (2)
Marco Bastos 1, 4
Márcia Portella 2, 5
Maria Inez Alves 3
João P.C. Furtado 6
TRÍVIOLETRA (TS): CACHOS
C aracóis, revoltos mares // NOS TEUS CABELOS // surfando as ondas (1)
S ão castanhos // enrolados em seus dedos // no arrepio do afago (2)
H oras a enrolar // espera // efeitos inesperados (3)
A moda roda // vem chapinha, vão-se os bobs // teus sonhos ... loiros cachos (4)
O fio longo // brilha ao sol // em brancas nuvens (5)
C arapinha enrolada // finta e drible // efeito deslumbrante (6)


Visualizado por 6

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
11 de abril
(1238) TRÍVIOLETRA (TC): RECANTO
R ecanto pensamento // gota d´água // parte d´oceano. (5)
E na mata o arroio // ermo // desliza como sonhos que sonhei (2)
C orre e beija as pedras // deixa saudades // recanto da alma.(3)
A água na pedra fura // a pedra na água pula // desviam meus olhares (4)
N o nicho, o riacho // ÁGUAS CLARAS SOBRE AS PEDRAS // som das corredeiras.(1)
T eimosa_mente galga // força bruta // re_canto de cisne… (7)
O imperceptível trabalho // de fora flui o mundo // para a mente (6)
Marco Bastos 1, 6
Celinha Viol 2
João P. C. Furtado 3, 5, 7
Hércio Afonso 4
TRÍVIOLETRA (TS): RECANTO
N o nicho, o riacho // ÁGUAS CLARAS SOBRE AS PEDRAS // som das corredeiras.(1)
E na mata o arroio // ermo // desliza como sonhos que sonhei (2)
C orre e beija as pedras // deixa saudades // recanto da alma.(3)
A água na pedra fura // a pedra na água pula // desviam meus olhares (4)
R ecanto pensamento // gota d´água // parte d´oceano. (5)
O imperceptível trabalho // de fora flui o mundo // para a mente (6)
T eimosa_mente galga // força bruta // re_canto de cisne… (7)


Visualizado por 5

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
8 de abril
(1237) TRÍVIOLETRA (TC): PÁSCOA
P edro e galo // coelho que põe ovo // perdão é Pascoa.(5)
A s crianças // o caminho // o encontro dos ovinhos (3)
S em chocolate // OVINHOS COLORIDOS // e era tudo caramelo (1)
C oro na igreja // colomba na mesa // cenoura nos ninhos (2)
O vinhos e o coelho // família reunida // folia das crianças (4)
A mesa farta // corre - corre das crianças // caça aos ovinhos (6)
Marco Bastos 1
Maria Inez Alves 2
Dirce Carneiro 3.
Celinha Viol 4, 6
João P.C. Furtado 5
TRÍVIOLETRA (TC): PÁSCOA
S em chocolate // OVINHOS COLORIDOS // e era tudo caramelo (1)
C oro na igreja // colomba na mesa // cenoura nos ninhos (2)
A s crianças // o caminho // o encontro dos ovinhos (3)
O vinhos e o coelho // família reunida // folia das crianças (4)
P edro e galo // coelho que põe ovo // perdão é Pascoa.(5)
A mesa farta // corre - corre das crianças // caça aos ovinhos (6)


Visualizado por 5

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
8 de abril
(1236) TRÍVIOLETRA (TC): CIGARRA
C ortando a tarde // É UMA SERRA // com asas de filó (1)
I rrita, áspera asa risca // arisca cigarra canta // casca oca (6)
G rande algazarra // inverno à porta // formiga trabalha…(5)
A nuncia a noite // labor é findo // talvez canto e corte (3)
R epetindo a cantilena // irrita o neurastênico // voa (2)
R ala coco, raspa o tacho // pra que tanta gastura // criatura (7)
A cigarra canta // canto de prazer // perfura rochas (4)
Marco Bastos 1, 7
Maria Inez Alves 2
Dirce Carneiro 3
Celinha Viol 4, 6
João P.C. Furtado 5
TRÍVIOLETRA (TS): CIGARRA
C ortando a tarde // É UMA SERRA // com asas de filó (1)
R epetindo a cantilena // irrita o neurastênico // voa (2)
A nuncia a noite // labor é findo // talvez canto e corte (3)
A cigarra canta // canto de prazer // perfura rochas (4)
G rande algazarra // inverno à porta // formiga trabalha…(5)
I rrita, áspera asa risca // arisca cigarra canta // casca oca (6)
R ala coco, raspa o tacho // pra que tanta gastura // criatura (7)


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
8 de abril
(1235) TRÍVIOLETRA (TC): SOLIDÃO
S ilêncio que incomoda // TANTO RUÍDO // e plena multidão (1)
O stracismo destino // vai jovem boémia // vem solidão...(5)
L onge, muito longe // um raio e um trovão // gota de chuva... e só (3)
I r dentro de si // e não se encontrar // estar só, sentir o silêncio (4)
D ói os ouvidos // um som mudo // nada e tudo (2)
à boli a solidão // muito barulho // melhor a sozinhez (7)
O vazio do isolamento // lágrima // a dor da ausência (6)
Marco Bastos 1, 7
Dirce Carneiro 2
Hércio Afonso 3
Celinha Viol 4, 6
João P.C. Furtado 5
TRÍVIOLETRA (TC): SOLIDÃO
S ilêncio que incomoda // TANTO RUÍDO // e plena multidão (1)
D ói os ouvidos // um som mudo // nada e tudo (2)
L onge, muito longe // um raio e um trovão // gota de chuva... e só (3)
I r dentro de si // e não se encontrar // estar só, sentir o silêncio (4)
O stracismo destino // vai jovem boémia // vem solidão...(5)
O vazio do isolamento // lágrima // a dor da ausência (6)
à boli a solidão // muito barulho // melhor a sozinhez (7)


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
7 de abril
(1234) TRÍVIOLETRA (TC); CEVADA
C ereal, fonte de amido // sabor da cerveja // cevada maltada (5)
E Terezinha de Jesus // bebeu como o rei Baco e... // foi ao chão (6)
V ai uma e mais uma // ténue nuvem // tropeça na lata e cai…(4)
A lata oval // ERA HORTELÃ OU CEVADA // presente do tio (1)
D e mão em mão // alma da cerveja // latinha gelada (3)
A oferenda no cinema // pretexto // paquera com sabor (2)
Marco Bastos 1, 6
Dirce Carneiro 2
Celinha Viol 3, 5
João P. C. Furtado 4
TRÍVIOLETRA (TS); CEVADA
A lata oval // ERA HORTELÃ OU CEVADA // presente do tio (1)
A oferenda no cinema // pretexto // paquera com sabor (2)
D e mão em mão // alma da cerveja // latinha gelada (3)
V ai uma e mais uma // ténue nuvem // tropeça na lata e cai…(4)
C ereal, fonte de amido // sabor da cerveja // cevada maltada (5)
E Terezinha de Jesus // bebeu como o rei Baco e... // foi ao chão (6)


Visualizado por 5

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
3 de abril
(1233) TRÍVIOLETRA (TC): OCEANO
O som do mar nas conchinhas // brisa quente // pressente (4)
C anto do mar // VENTO DO SUL // hula-hula, búzio na orelha (1)
E nfunam - se as velas // vento sul // sem eles não podemos singrar (6)
A legre acolhida // brisa traz o novo // ondas na dança (3)
N avios ao largo // carregam homens // buscando sonhos (2)
O nda saudade // mar separação // vai a carta vem o email.(5)
Marco Bastos 1
Maria Inez Alves 2
Dirce Carneiro 3
Celinha Viol 4, 6
João P. C. Furtado 5
TRÍVIOLETRA (TS): OCEANO
C anto do mar // VENTO DO SUL // hula-hula, búzio na orelha (1)
N avios ao largo // carregam homens // buscando sonhos (2)
A legre acolhida // brisa traz o novo // ondas na dança (3)
O som do mar nas conchinhas // brisa quente // pressente (4)
O nda saudade // mar separação // vai a carta vem o email.(5)
E nfunam - se as velas // vento sul // sem eles não podemos singrar (6)


Visualizado por 4

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
29 de março
(1232) TRÍVIOLETRA TC / TS : NÉVOA
N o alto da serra // ENTRE NUVENS - ESTRELAS // silhuetas ao vento (1)
É densa a dança da névoa // enevoando gotículas // chove...(2)
V oos cegos // caça de luz // abrigo acolhedor (3)
O caso escuro // nevoeiro // só sombras, na calada da noite (4)
A estrada, uma serpente // do nascente ao poente // uma bruma só (5)
Celinha Viol 1, 4
Lourdes Ramos 2
Maria Inez Alves 3
Marco Bastos 5


Visualizado por 4

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
24 de março
(1231) TRÍVIOLETRA TC : NATURA
N udez transitória // novo tempo vem // perdas e ganhos (2)
A rvores se despem // PERDAS // trocam a pele não as raízes (1)
T a_na_jura baiana // não perde a abundância // sobe e desce as ladeiras (5)
U rros e latidos // menos... e mais... // buzinões e travões...(6)
R aízes da vida // homem intruso // perigo eterno.(3)
A sas e aves // galhos secos // raízes fortes (4)
Celinha Viol 1, 4
Dirce Carneiro 2
João P. C. Furtado 3, 6
Marco Bastos 5
TRÍVIOLETRA TS : NATURA
A rvores se despem // PERDAS // trocam a pele não as raízes (1)
N udez transitória // novo tempo vem // perdas e ganhos (2)
R aízes da vida // homem intruso // perigo eterno.(3)
A sas e aves // galhos secos // raízes fortes (4)
T a_na_jura baiana // não perde a abundância // sobe e desce as ladeiras (5)
U rros e latidos // menos... e mais... // buzinões e travões...(6)
Celinha Viol 1, 4
Dirce Carneiro 2
João P. C. Furtado 3, 6
Marco Bastos 5


Visualizado por 5

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
22 de março
(1230) TRÍVIOLETRA (TC): TIMBAU
T reino, trinco, trino // O TIMBAU NA TARANTELA // Tá-tá-tã ou_ tono (1)
I da e puxada // na virada da vida // batucando adoidada (4)
M ilagre dos deuses // compasso e arte // no ar o som (3)
B atuque de Brown // axé em Salvador // iorubá dos orixás (2)
A lma vibrante // louca êxtase // deuses encarnados (5)
U m oxalá // timbalada no som do timbau // Aleluia (6)
Marco Bastos 1, 4
Márcia Portella 2
João P.C. Furtado 3, 5
Celinha Viol 6
TRÍVIOLETRA (TS): TIMBAU
T reino, trinco, trino // O TIMBAU NA TARANTELA // Tá-tá-tã ou_ tono (1)
B atuque de Brown // axé em Salvador // iorubá dos orixás (2)
M ilagre dos deuses // compasso e arte // no ar o som (3)
I da e puxada // na virada da vida // batucando adoidada (4)
A lma vibrante // louca êxtase // deuses encarnados (5)
U m oxalá // timbalada no som do timbau // Aleluia (6)


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
22 de março
(1229) TRÍVIOLETRA TC : SOSSEGO.
S uaves horas // silvos cortam a paz // porto sereno(3)
O tempo mudo // respira brando // tece mortalhas (6)
S empre amigos, casal de urutu // dorme ao meu lado // - não um jaburu (4)
S ilêncio ao anoitecer // filhos dormem // posso ler (5)
E ntre ramos - passarinho // BELEZA E PAZ // cerejeira em flor (1)
G osto disto tudo // e me mudei // - pra debaixo da mangueira (2)
O segredo da paz // diz a jararaca // - é não trocar de pele (7)
Celinha Viol 1
Marco Bastos 2, 4, 7
Dirce Carneiro 3
Maria Inez Alves 5
Marcia Portella 6
TRÍVIOLETRA TS : SOSSEGO.
E ntre ramos - passarinho // BELEZA E PAZ // cerejeira em flor (1)
G osto disto tudo // e me mudei // - pra debaixo da mangueira (2)
S uaves horas // silvos cortam a paz // porto sereno(3)
S empre amigos, casal de urutu // dorme ao meu lado // - não um jaburu (4)
S ilêncio ao anoitecer // filhos dormem // posso ler (5)
O tempo mudo // respira brando // tece mortalhas (6)
O segredo da paz // diz a jararaca // - é não trocar de pele (7)


Visualizado por 4

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
14 de março
(1228) TRÍVIOLETRA (TC): VOO CEGO
V oraz_cidade // AVE OU FLECHA // - bala perdida, Rio Maravilha (1)
O ndas quebradas // asa aberta // trilha brilha - arma... o caos e a dor (2)
O lho vivo // morto, cidade alerta // morro...ave, que abate (5)
C açadora noturna // mira mortal // inerte no asfalto (4)
E spaço aéreo // torre de comando? // em terra, só voando (3)
G árgulas espreitam // noite densa // pesadelo humano (6)
O bjeto voador // humana invenção // Universo incógnito…(7)
Marco Bastos 1
Celinha Viol 2
Dirce Carneiro 3, 5
Márcia Portella 4, 6
João P.C. Furtado 7
TRÍVIOLETRA (TS): VOO CEGO
V oraz_cidade // AVE OU FLECHA // - bala perdida, Rio Maravilha (1)
O ndas quebradas // asa aberta // trilha brilha - arma... o caos e a dor (2)
E spaço aéreo // torre de comando? // em terra, só voando (3)
C açadora noturna // mira mortal // inerte no asfalto (4)
O lho vivo // morto, cidade alerta // morro...ave, que abate (5)
G árgulas espreitam // noite densa // pesadelo humano (6)
O bjeto voador // humana invenção // Universo incógnito…(7)


Visualizado por 4

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir

Curtir

Amei

Haha

Uau

Triste

Grr

Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
12 de março
(1227) TRÍVIOLETRA: (TC): SENZALA
S uor, medo // berimbau capoeira // chibata no lombo (2)
E lementares desejos // sonho existe? // Cria e pão e água…(7)
N o canto, a dança, o culto // secretos sinais // as fugas e os ais (6)
Z abumba na noite // gente no tronco // sangue de branco (3)
A sa ao azar, casa ou não casa // VOA COM PÉ NO CHÃO // - cama e fogão (1)
L embra infância // escrava vida // roça e mosquito. (5)
A çoites // correntes se arrastam // morada fria - braseiro no chão (4)
Marco Bastos 1
Marcia Portella 2
Maria Inez Alves 3
Celinha Viol 4
João P.C. Furtado 5, 7
Dirce Carneiro 6
TRÍVIOLETRA: (TS): SENZALA
A sa ao azar, casa ou não casa // VOA COM PÉ NO CHÃO // - cama e fogão (1)
S uor, medo // berimbau capoeira // chibata no lombo (2)
Z abumba na noite // gente no tronco // sangue de branco (3)
A çoites // correntes se arrastam // morada fria - braseiro no chão (4)
L embra infância // escrava vida // roça e mosquito. (5)
N o canto, a dança, o culto // secretos sinais // as fugas e os ais (6)
E lementares desejos // sonho existe? // Cria e pão e água…(7)


Visualizado por 3

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
5 de março
(1226) TRÍVIOLETRA (TC): ANTIGO
A incerteza do talvez // triste mania // de viver no outono (2)
N a tristura de um choro // UMA AVENTURA // por um triz (1)
T anta ventura // na pele com ranhuras // meros desejos (5)
I nstigante hora // oca no tempo // de outrora (4)
G ente remota // perpétua tradição // tempo renova. (3)
O utros tempos // sem Iped nem Ipod // sombra da história.(6)
Marco Bastos 1.
Celinha Viol 2
João P.C. Furtado 3, 6
Márcia Portella 4
Dirce Carneiro 5
TRÍVIOLETRA (TS): ANTIGO
N a tristura de um choro // UMA AVENTURA // por um triz (1)
A incerteza do talvez // triste mania // de viver no outono (2)
G ente remota // perpétua tradição // tempo renova. (3)
I nstigante hora // oca no tempo // de outrora (4)
T anta ventura // na pele com ranhuras // meros desejos (5)
O utros tempos // sem Iped nem Ipod // sombra da história.(6)


Visualizado por 4

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
4 de março
(1225) TRÍVIOLETRA (TC): TRILHOS
T odo um poço não molha a floresta // sem festa // o tempo não passa (3)
R umo in_certo // destino... futuro // glória ou inferno.(2)
Í gnea dor, forte inda arde // um canto contido // águas ondulam (7)
L ágrimas em Minas / é um trem nos olhos / se a saudade chega (5)
H á saudades // nos trilhos o trem da vida // risos e lágrimas.(6)
O fio d'água // a minar // nas asas do tempo - tristeza voa (4)
S audade do filho // ÁGUA D´OLHOS D´ÁGUA // - o poço e o sarilho (1)
Marco Bastos 1, 3
João P.C. Furtado 2, 6
Celinha Viol 4
Hercio Afonso 5
Dirce Carneiro 7
TRÍVIOLETRA (TS): TRILHOS
S audade do filho // ÁGUA D´OLHOS D´ÁGUA // - o poço e o sarilho (1)
R umo in_certo // destino... futuro // glória ou inferno.(2)
T odo um poço não molha a floresta // sem festa // o tempo não passa (3)
O fio d'água // a minar // nas asas do tempo - tristeza voa (4)
L ágrimas em Minas / é um trem nos olhos / se a saudade chega (5)
H á saudades // nos trilhos o trem da vida // risos e lágrimas.(6)
Í gnea dor, forte inda arde // um canto contido // águas ondulam (7)


Visualizado por 5

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
26 de fevereiro
(1224) TRÍVIOLETRA (TC): INTRIGA
I nsídia // mexerico nato // conivência, prejuízo alheio (5)
N a palma da mão // rendição // ferido em teias do dito e feito (7)
T ricotando qual comadre // qual Penélope // todo dia desfiando (3)
R oda a roda // puxa o fio // enovela o fuxico (4)
I nsípida conversa // falsa verdade // tempo perdido.(6)
G uerra santa // NO CADAFALSO // entrega cada falso salva pátria (1)
A liança sem pudor // conchavo // palanque trama a trama (2)
Marco Bastos 1, 3
Celinha Viol 2, 5
Marcia Portella 4
João P. C. Furtado 6
Dirce Carneiro 7
TRÍVIOLETRA (TS): INTRIGA
G uerra santa // NO CADAFALSO // entrega cada falso salva pátria (1)
A liança sem pudor // conchavo // palanque trama a trama (2)
T ricotando qual comadre // qual Penélope // todo dia desfiando (3)
R oda a roda // puxa o fio // enovela o fuxico (4)
I nsídia // mexerico nato // conivência, prejuízo alheio (5)
I nsípida conversa // falsa verdade // tempo perdido.(6)
N a palma da mão // rendição // ferido em teias do dito e feito (7)


Visualizado por 4

3
Você, Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
23 de fevereiro
(1223) TRÍVIOLETRA (TC): GUTURAL
G retas, grotas, gritam // CAVERNOSO PLANETA // - vozes, a insensatez (1)
U rra a garganta // bruxa, caldeirão, ferro fundido // disse a Cassandra (4)
T empos funestos // rugem no espaço // buraco negro (2)
U m mundo inteligível // grito das idéias // luz da razão (6)
R onca rouca // terra morta // na larga sem cio.(5)
A lheios ao pensamento // preguiça // o obscuro mundo vazio (3)
L embrança tenebrosa // esquecer? // O limbo da memória. (7)
Marco Bastos 1, 4
Márcia Portella 2, 5
Celinha Viol 3, 6
João P.C. Furtado 7
TRÍVIOLETRA (TS): GUTURAL
G retas, grotas, gritam // CAVERNOSO PLANETA // - vozes, a insensatez (1)
T empos funestos // rugem no espaço // buraco negro (2)
A lheios ao pensamento // preguiça // o obscuro mundo vazio (3)
U rra a garganta // bruxa, caldeirão, ferro fundido // disse a Cassandra (4)
R onca rouca // terra morta // na larga sem cio.(5)
U m mundo inteligível // grito das idéias // luz da razão (6)
L embrança tenebrosa // esquecer? // O limbo da memória. (7)


Visualizado por 3

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
15 de fevereiro
(1222) TRÍVIOLETRA (TC): JEGUE
J amais foge do eito // carregando o amargo e o doce // ser milenar (4)
E quem sabe // O QUE LEVASTE E TROUXESTE // - vales mais do que tu pesas (1)
G eme… pesada cruz // torce e cai // sem futuro morre. (3)
U m companheiro de trabalho // nasceu no abandono // sem dono (2)
E jogue os panacus / de cada lado um // pra fazer a feira (5)
Marco Bastos 1
Celinha Viol 2
João P.C. Furtado 3
Maria Inez Alves 4
Hércio Afonso 5
TRÍVIOLETRA (TS): JEGUE
E quem sabe // O QUE LEVASTE E TROUXESTE // - vales mais do que tu pesas (1)
U m companheiro de trabalho // nasceu no abandono // sem dono (2)
G eme… pesada cruz // torce e cai // sem futuro morre. (3)
J amais foge do eito // carregando o amargo e o doce // ser milenar (4)
E jogue os panacus / de cada lado um // pra fazer a feira (5)


Visualizado por 4

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
12 de fevereiro
(1221) TRÍVIOLETRA TC : FOLIA.
F arra alegre // DANÇA E FANTASIA // ao som de pandeiros (1)
O le olá //'é beija-flor // voando pra quebrar (3)
L á vai a bandeira // rei e rainha // nus de coroas e súditos (2)
I ndo e vindo na avenida // Mestre - Sala // canta, encanta, conduz (5)
A rlequim alegre // Rei Momo tem chave // tristeza enterrada.(4)
Celinha Viol 1,5
João P.C. Furtado 2, 4
Marcia Portella 3
TRÍVIOLETRA TS : FOLIA.
F arra alegre // DANÇA E FANTASIA // ao som de pandeiros (1)
L á vai a bandeira // rei e rainha // nus de coroas e súditos (2)
O le olá //'é beija-flor // voando pra quebrar (3)
A rlequim alegre // Rei Momo tem chave // tristeza enterrada.(4)
I ndo e vindo na avenida // Mestre - Sala // canta, encanta, conduz (5)


Visualizado por 3

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
11 de fevereiro
(1220) TRÍVIOLETRA TC : TELA
T raço de pincel // sonho e arco-íris // perpetua a tradição.(2)
E moção // cria a imagem // carrossel de cores (3)
L eva passado ao futuro // arte e cor // presente gravado.(4)
A s cores do sol no papel // VERGEL - SONS, TONS // bemóis, girassóis (1)
Celinha Viol 1, 3
João P.C. Furtado 2, 4
TRÍVIOLETRA TS : TELA
A s cores do sol no papel // VERGEL - SONS, TONS // bemóis, girassóis (1)
T raço de pincel // sonho e arco-íris // perpetua a tradição.(2)
E moção // cria a imagem // carrossel de cores (3)
L eva passado ao futuro // arte e cor // presente gravado.(4)


Visualizado por 2

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
5 de fevereiro
(1219) TRÍVIOLETRA (TC) O POTE
O barro // moringa da' água // bebe a vida (2)
P ote // TANTAS VEZES FONTE // tantas vezes mote (1)
O co útero em repouso // misterioso fluido // quem beber, verá! (3)
T ransportando fluidos // saciando sedes // curando males(4)
E screvo e tenho sede // sou pote // a poesia é água (5)
Marco Bastos 1
Márcia Portella 2
Lourdes Ramos 3
Maria Inez Alves 4
Celinha Viol 5
TRÍVIOLETRA (TS) O POTE
P ote // TANTAS VEZES FONTE // tantas vezes mote (1)
O barro // moringa da' água // bebe a vida (2)
O co útero em repouso // misterioso fluido // quem beber, verá! (3)
T ransportando fluidos // saciando sedes // curando males(4)
E screvo e tenho sede // sou pote // a poesia é água (5)


Visualizado por 3

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
4 de fevereiro
(1218) TRÍVIOLETRA (TC): AVES
A guarda // existe o tempo certo // calendário da sobrevivência (2)
V oa com os gansos // DESCOBRE AS ROTAS DOS VENTOS // - asas da aventura (1)
E levam aos céus // sonhos e esperanças // metais com asas. (3)
S uave planam //asas abertas // no sonho de Ícaro (4)
Marco Bastos 1
Maria Inez Alves 2
João P.C. Furtado 3
Márcia Portella 4
TRÍVIOLETRA (TS): AVES
V oa com os gansos // DESCOBRE AS ROTAS DOS VENTOS // - asas da aventura (1)
A guarda // existe o tempo certo // calendário da sobrevivência (2)
E levam aos céus // sonhos e esperanças // metais com asas. (3)
S uave planam // asas abertas // no sonho de Ícaro (4)


Visualizado por 3

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
4 de fevereiro
(1217) TRÍVIOLETRA TC : VENTO
V em de longe o aroma // MACIEIRA EM FLOR // brisa mensageira (1)
E invade a janela // derruba vasos // liberta as flores(3)
N ostálgico pensamento // o vento levou // ficaram os cacos.(4)
T onto rodopia // leva e trás aromas // caem folhas (2)
O aroma antecipa o sabor // suculento // prazer e alimento(5)
Celinha Viol 1
Marcia Portella 2
Dirce Carneiro 3
João P.C. Furtado 4
Marco Bastos 5
TRÍVIOLETRA TS : VENTO
V em de longe o aroma // MACIEIRA EM FLOR // brisa mensageira (1)
T onto rodopia // leva e trás aromas // caem folhas (2)
E invade a janela // derruba vasos // liberta as flores(3)
N ostálgico pensamento // o vento levou // ficaram os cacos.(4)
O aroma antecipa o sabor // suculento // prazer e alimento(5)


Visualizado por 3

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
30 de janeiro
(1216) TRÍVIOLETRA TC/TS : FOGO
F umaça na mata // FAÍSCA ACORDA A ONÇA ARISCA // descaso que mata (1)
O nça que é onça // chispa - não fuma cachimbo // Voa um flamingo.(2)
G ato escaldado foge de água fria // maresia // noite e dia (3)
O nde tem fumaça // pintada não beira // é só carreira(4)
Celinha Viol 1
Marco Bastos 2
Lourdes Ramos 3
Marcia Portela 4


Visualizado por 4

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
29 de janeiro
(1215) TRÍVIOLETRA TC : VOLTA
V olto ao passado // o nascer do sol // papagaio a parlar…(2)
O mergulho, como pedra // o retorno // espadanando as águas.(3)
L evou esperança // nas asas dos sonhos // desiludido voltou…(4)
T raz nas asas - livres // o branco da paz // poder de ir e vir(5)
A sas abertas, na praia libertas // GAIVOTAS // mágico regresso (1)
Celinha Viol 1
João P.C. Furtado 2, 4
Marco Bastos 3
Dirce Carneiro 5
TRÍVIOLETRA TS : VOLTA
A sas abertas, na praia libertas // GAIVOTAS // mágico regresso (1)
V olto ao passado // o nascer do sol // papagaio a parlar…(2)
O mergulho, como pedra // o retorno // espadanando as águas.(3)
L evou esperança // nas asas dos sonhos // desiludido voltou…(4)
T raz nas asas - livres // o branco da paz // poder de ir e vir(5)


Visualizado por 4

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
26 de janeiro
(1214) TRÍVIOLETRA TC : CLARÃO.
C hocam estrelas // luz na escuridão // brilha o horizonte...(6)
L ento anoitecer // HORIZONTE // lua e a fonte, águas a rolar (1)
A tarde cai lenta e leve // reencontros // na mansidão do ocaso(3)
R aios de sol // chilrar do pardal // clarão faz (2)
à luz contém as trevas // triste alumiar // depois da linha(5)
O Sol não se apaga // além do horizonte // acende a escuridão(4)
Celinha Viol 1, 3
João P.C. Furtado 2, 6
Marco Bastos 4
Dirce Carneiro 5
TRÍVIOLETRA TS : CLARÃO.
L ento anoitecer // HORIZONTE // lua e a fonte, águas a rolar (1)
R aios de sol // chilrar do pardal // clarão faz (2)
A tarde cai lenta e leve // reencontros // na mansidão do ocaso(3)
O Sol não se apaga // além do horizonte // acende a escuridão(4)
à luz contém as trevas // triste alumiar // depois da linha(5)
C hocam estrelas // luz na escuridão // brilha o horizonte...(6)


Visualizado por 3

1
Celinha Viol
Curtir

Curtir

Amei

Haha

Uau

Triste

Grr

Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
23 de janeiro
(1213) TRÍVIOLETRA (TC): CAMELOS
C arregador de sonhos // mansidão, fortaleza // míster milenar (2)
A reia ardente. Largas patas // pelas estrelas // e pelos aromas (4)
M ilhas sem trilhas // parceiro fiel // alento no deserto (3)
E ra Oasis // tâmara, água? // restam areia, sol... e carcaças (7)
O sol castiga e sustenta // não tem de estimação // como pets (6)
L argos caminhos // CRUZADOR DO SAARA // bebe miragens e oásis (1)
S egue pelo deserto // decerto com fome // não perde a posse (5)
Marco Bastos 1, 4
Maria Inez Alves 2
Celinha Viol 3
Hércio Afonso 5
Dirce Carneiro 6
João P.C. Furtado (7)
TRÍVIOLETRA (TS): CAMELOS
L argos caminhos // CRUZADOR DO SAARA // bebe miragens e oásis (1)
C arregador de sonhos // mansidão, fortaleza // míster milenar (2)
M ilhas sem trilhas // parceiro fiel // alento no deserto (3)
A reia ardente. Largas patas // pelas estrelas // e pelos aromas (4)
S egue pelo deserto // decerto com fome // não perde a posse (5)
O sol castiga e sustenta // não tem de estimação // como pets (6)
E ra Oasis // tâmaras, água? // restam areia, sol... e carcaças (7)


Visualizado por 3

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir

Curtir

Amei

Haha

Uau

Triste

Grr

Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
19 de janeiro
(1212) TRÍVIOLETRA (TC): VIDRAÇA
V i sol embaçado // chuva transparente // o sossego: queijo e vinho (3)
I ntempéries, lá fora // dentro aconchego // pelos olhos da casa (7)
D ança da luz, à noite // QUANDO CHOVE // trapaça, a luz do sol embaça (1)
R aio... Luz solar // vento não passa // segredo? Vidro incolor. (4)
A conchegada sonha // clara separação // su_ar saudades. (2)
Ç ovardia , vidro incolor // bate a cabeça, dor na costela (5)
A inda chove // cristais na vidraça // outra luz - vejo estrelas (6)
Marco Bastos 1, 5, 7
João P.C. Furtado 2, 4
Vania de Castro 3
Celinha Viol 6
TRÍVIOLETRA (TS): VIDRAÇA
D ança da luz, à noite // QUANDO CHOVE // trapaça, a luz do sol embaça (1)
A conchegada sonha // clara separação // su_ar saudades. (2)
V i sol embaçado // chuva transparente // o sossego: queijo e vinho (3)
R aio... Luz solar // vento não passa // segredo? Vidro incolor. (4)
Ç ovardia , vidro incolor // bate a cabeça, dor na costela (5)
A inda chove // cristais na vidraça // outra luz - vejo estrelas (6)
I ntempéries, lá fora // dentro aconchego // pelos olhos da casa (7)


Visualizado por 3

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
17 de janeiro
(1211) TRÍVIOLETRA (TC): CHUVA
C ristal das manhãs claras // AO SOL DA PRIMAVERA // nuvens benfazejas (1)
H omem espera // Zeus des_manda // seca ou inundação. (4)
Ú nica, a gota nos teus olhos // inundou o mundo // xô, vi! (5)
V arrendo mágoas // são gotas de luz // no deserto da alma (2)
A luz do dia escurece // e a chuva cresce // na noite agora fria (3)
Marco Bastos 1
Márcia Portella 2
Celinha Viol 3
João P.C. Furtado 4
Hércio Afonso 5
TRÍVIOLETRA (TS): CHUVA
C ristal das manhãs claras // AO SOL DA PRIMAVERA // nuvens benfazejas (1)
V arrendo mágoas // são gotas de luz // no deserto da alma (2)
A luz do dia escurece // e a chuva cresce // na noite agora fria (3)
H omem espera // Zeus des_manda // seca ou inundação. (4)
Ú nica, a gota nos teus olhos // inundou o mundo // xô, vi! (5)


Visualizado por 3

2
Você e Celinha Viol
Curtir

Curtir

Amei

Haha

Uau

Triste

Grr

Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
16 de janeiro
(1210) TRÍVIOLETRA TC/TS : VINHA.
V elha videira // CHUVA ADOÇA A UVA // velas, bom vinho na taça (1)
I as, vinhas, cristal das manhãs // caldo e moenda // velas ao mar(2)
N a mesa da vinha // Sagrada e profana // Alma das festas.(3)
H ora do brinde // gotas de néctar // saciam desejos(4)
A mor vinha // pingos d'ouro // no bacanal de Baco(5)
Celinha Viol 1
Marco Bastos 2
João P.C. Furtado 3
Maria Inez Alves 4
Marcia Portella 5


Visualizado por 3

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
13 de janeiro
(1209) TRÍVIOLETRA TC : ENÍGMA
E estranho jogo // esconde - esconde // entre nuvens (5)
N oite obscura // CAPRICHO DA LUA // duas sombras, dois destinos (1)
I gnota lua nova // albedo, e cimitarra // Vênus, brinco aceso(3)
G nomo e Duende // enigma ou amor? // Sexta… a Noite da Lua Cheia.(2)
M ística verdade // Além horizonte // lente des_engana.(4)
A lâmina brilha // lua cheia reflete // mistério sem cor(6)
Celinha Viol 1, 6
João P.C. Furtado 2, 4
Marco Bastos 3
Dirce Carneiro 5
TRÍVIOLETRA TS : ENÍGMA
N oite obscura // CAPRICHO DA LUA // duas sombras, dois destinos (1)
G nomo e Duende // enígma ou amor // sexta... a Noite da Lua Cheia (2)
I gnota lua nova // albedo, e cimitarra // Vênus, brinco aceso(3)
M ística verdade // Além horizonte // lente des_engana.(4)
E estranho jogo // esconde - esconde // entre nuvens (5)
A lâmina brilha // lua cheia reflete // mistério sem cor(6)


Visualizado por 5

3
Você, Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir

Curtir

Amei

Haha

Uau

Triste

Grr

Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
6 de janeiro
(1208) TRÍVIOLETRA (TC): PIANO
P ura algazarra // TW_EN_TI_ES VIBRANTE , ANOS VINTE // pisando em pedras (1)
I magem única // pianista e dançarina // magia existe (5)
A h! piano quente // ferve a clarineta // jazz e a golden age dancing (3)
N um tom para se ouvir // bailar e sentir // os sentidos fluir (4)
O s dedos acariciam // melodia de anjos // Terra paraíso. (2)
Marco Bastos 1
João P.C. Furtado 2, 5
Celinha Viol 3
Dirce Carneiro 4
TRÍVIOLETRA (TS): PIANO
P ura algazarra // TW_EN_TI_ES VIBRANTE , ANOS VINTE // pisando em pedras (1)
O s dedos acariciam // melodia de anjos // Terra paraíso. (2)
A h! piano quente // ferve a clarineta // jazz e a golden age dancing (3)
N um tom para se ouvir // bailar e sentir // os sentidos fluir (4)
I magem única // pianista e dançarina // magia existe (5)


Visualizado por 4


4
Você, Celinha Viol, Maria Inez Alves e Maria Lucia Davila
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
5 de janeiro
(1207) TRÍVIOLETRA TC : SOSSEGO.
S opra um vento fraquinho // uns curtem o sossego // pensando em carinho(2)
O sol no dia findo // MAIS LEVE QUE A BRISA // rede preguiça (1)
S ol brilha frio // na rua tapete branco // abraço aquece o amor.(3)
S ereno serena na relva // luar a_calma // mágico silêncio(4)
E estar contrito // sozinho consigo // no centro do ser (6)
G osto do silêncio // e noites de garoa // só vidraça e estrelas(5)
O tempo pede // a rua frio e neve // na lareira com livro.(7)
Celinha Viol 1,4
Marco Bastos 2, 5
João P.C. Furtado 3,7
Dirce Careiro 6
TRÍVIOLETRA TS : SOSSEGO.
O sol no dia findo // MAIS LEVE QUE A BRISA // rede preguiça (1)
S opra um vento fraquinho // uns curtem o sossego // pensando em carinho(2)
S ol brilha frio // na rua tapete branco // abraço aquece o amor.(3)
S ereno serena na relva // luar a_calma // mágico silêncio(4)
G osto do silêncio // e noites de garoa // só vidraça e estrelas(5)
E estar contrito // sozinho consigo // no centro do ser (6)
O tempo pede // a rua frio e neve // na lareira com livro.(7)


Visualizado por 5

3
Você, Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
24 de dezembro de 2017
(1206) TRÍVIOLETRA (TC): FUMAÇA.
F oi- se o sol // embaça a vista // a alma se purifica (2)
U ma fumaça? // fogo des_graça // fagulha espalha. (6)
M uda tempo // troca gênero // nuvem - novo ato no palco (3)
A rruaça na rua // lua fumaça // sem graça. orgulho de entulho (4)
Ç huva, padre, e um guarda - chuva que passa // SEM GRAÇA // - manhã fumaça (1)
A berta a janela // oceano de névoas // e a sombrinha amarela (5)
Marco Bastos 1, 4
Maria Inez Alves 2
Dirce Carneiro 3
Celinha Viol 5
João P.C. Furtado 6
TRÍVIOLETRA (TS): FUMAÇA.
Ç huva, padre, e um guarda - chuva que passa // SEM GRAÇA // - manhã fumaça (1)
F oi- se o sol // embaça a vista // a alma se purifica (2)
M uda tempo // troca gênero // nuvem - novo ato no palco (3)
A rruaça na rua // lua fumaça // sem graça. orgulho de entulho (4)
A berta a janela // oceano de névoas // e a sombrinha amarela (5)
U ma fumaça? // fogo des_graça // fagulha espalha. (6)


Visualizado por 4

1
Celinha Viol
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
20 de dezembro de 2017
(1205) TRÍVIOLETRA : TC ACASO
A tarde talvez azul // TEMPO SEN_HORA // ocaso rubro na_mora (1)
C ara sempre sonsa // tudo é por acaso // sempre no ocaso (4)
A ca S O S, por acaso // são ocasos // ao sol de todo dia.(5)
S em tempo nem hora // há caso para manga // do nada é tudo.(2)
O s motivos e razões // pretextos, marcações // casuais (3)
Celinha Viol 1
João P.C. Furtado 2
Dirce Carneiro 3
Marcia Portella 4
Marco Bastos 5
TRÍVIOLETRA : TS ACASO
A tarde talvez azul // TEMPO SEN_HORA // ocaso rubro na_mora (1)
S em tempo nem hora // há caso para manga // do nada é tudo.(2)
O s motivos e razões // pretextos, marcações // casuais (3)
C ara sempre sonsa // tudo é por acaso // sempre no ocaso (4)
A ca S O S, por acaso // são ocasos // ao sol de todo dia.(5)


Visualizado por 4

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir

Curtir

Amei

Haha

Uau

Triste

Grr

Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
18 de dezembro de 2017
(1204) TRÍVIOLETRA (TC): LUXO
L ivre na luxúria // Rainha Dragão // brilha inteira postiça (2)
U ngida de purpurina // penas voam // clareando a noite (4)
X exéu do céu, puro luxo!... // DRAG QUEEN // bicha_no lixo, espalha_fato (1)
O trejeito maneirista // ser ou não ser // monta, desmonta (3)
Marco Bastos 1
Celinha Viol 2
Dirce Carneiro 3
Marcia Portella 4
TRÍVIOLETRA (TS): LUXO
X exéu do céu, puro luxo!... // DRAG QUEEN // bicha_no lixo, espalha_fato (1)
L ivre na luxúria // Rainha Dragão // brilha inteira postiça (2)
O trejeito maneirista // ser ou não ser // monta, desmonta (3)
U ngida de purpurina // penas voam // clareando a noite (4)


Visualizado por 4

3
Você, Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
14 de dezembro de 2017
(1203) TRÍVIOLETRA (TC): SELFIES
S ocialites, sempre me encantam // UM MACACO // duas bugias. (1)
E as lindas na foto // ego inflamado // mico, caretas e caretas (3)
L isa pele photoshop // aço inox // com peitos de botox (5)
F lash, autorretrato // botox zerado // zoom e o espanto (6)
I nflama a boca // olhar de ébrio // clica o bico (4)
E lástico e soutien // tudo postiço // Lady face book .(7)
S er narciso // fascínio pelo eu // no espelho eletrônico. (2)
Marco Bastos 1, 5
João P.C. Furtado 2, 7
Celinha Viol 3, 6
Dirce Carneiro 4
TRÍVIOLETRA (TS): SELFIES
S ocialites, sempre me encantam // UM MACACO // duas bugias. (1)
S er narciso // fascínio pelo eu // no espelho eletrônico. (2)
E as lindas na foto // ego inflamado // mico, caretas e caretas (3)
I nflama a boca // olhar de ébrio // clica o bico (4)
L isa pele photoshop // aço inox // com peitos de botox (5)
F lash, autorretrato // botox zerado // zoom e o espanto (6)
E lástico e soutien // tudo postiço // Lady face book .(7)


Visualizado por 6

3
Celinha Viol, Maria Inez Alves e Maria Lucia Davila
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
12 de dezembro de 2017
(1202) TRÍVIOLETRA TC : LUAR.
L ua opala // CABANA SE FAZ DIA // pele de luz (1)
U ltimo risco de lua // lencóis amarfalhados // café (4)
A luz espelhada // magia criada // sonho e amor.(3)
R evestida de prata // nuances de azul // casinha feliz (2)
Celinha Viol 1
Dirce Carneiro 2, 4
João P.C. Furtado 3
TRÍVIOLETRA TS : LUAR.
L ua opala // CABANA SE FAZ DIA // pele de luz (1)
R evestida de prata // nuances de azul // casinha feliz (2)
A luz espelhada // magia criada // sonho e amor.(3)
U ltimo risco de lua // lencóis amarfalhados // café (4)


Visualizado por 5

2
Celinha Viol e Maria Inez Alves
Curtir
Comentários

Celinha Viol desativou os comentários desta publicação.





Celinha Viol
11 de dezembro de 2017
(1201) TRÍVIOLETRA TC : ÁGUA
Á gua d'outra Fonte // BRANQUINHA // cascata canta, bebida santa (1)
G ota perfeita / o carinho feito por Deus / para nós mortais (2)
U ma gota-lágrima // do Céu-Sol // do mar-salgado.(4)
A cachoeira despenca // véu de noiva // deságua em dó (3)
Celinha Viol 1
Lourdes Ramos 2
Dirce Carneiro 3
João P.C. Furtado 4
TRÍVIOLETRA TS : ÁGUA
Á gua d'outra Fonte // BRANQUINHA // cascata canta, bebida santa (1)
G ota perfeita / o carinho feito por Deus / para nós mortais (2)
A cachoeira despenca // véu de noiva // deságua em dó (3)
U ma gota-lágrima // do Céu-Sol // do mar-salgado.(4)
Marco Bastos e autores do Grupo Trívioletra no facebook.
Enviado por Marco Bastos em 16/12/2018
Reeditado em 16/12/2018
Código do texto: T6528272
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Os números após os versos no poema indicam os autores marcados com o mesmo número na lista de autoria.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
DIANA GONÇALVES e GRUPO TRIVIOLETRA DO FACEBOOK
Enviado por DIANA GONÇALVES em 04/05/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários