Dirce Carneiro por Diana Gonçalves
Pensamentos... palavras e poesia... em ação...querendo alçar voo, em mutação...
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Prêmios Livro de Visitas Contato Links
TWYTTER


Abro os olhos.
O dia cinza sorri -
Um sorriso banguela,
De segunda-feira.
Quando abro a janela,
Nuvens movem-se no céu
Sem cor.
Na calçada, há pingos de chicletes pisados,
Escuros...
Falta educação,
Urgência de beijo,
Será um tropeço,
Um engasgo,
Talvez um escarro?
Saio.
Piso nos pingos da calçada,
Quebrada.
Tem no chão o desenho do Estado,
Pintado.
Tudo fechado:
O boteco, a Kalunga, a loja de sapatos.
Cidade deserta.
É cedo.
Na esquina da Rebouças, um grupo acampado.
Medo.
No destino, tudo fechado.
Indago.
Volto.
Na esquina, um acampado olha.
Medo.
Pego carona no táxi do casal.
Eles também...com medo.
“Meu, pera ae”
Que dia é hoje?
Celular: Domingo – 13.
Virtual é vida de fantasia,
Onde se escreve:
“Durmo, pisco, abro os olhos,
tudo escuro, levanto, ando,
acendo a luz, vou ao trono...”
O resto?
Ah! Mas aí já vira big-brother, mano!
Que medo!
Bah...Cai na real, tche...

13/01/2013

DIANA GONÇALVES
Enviado por DIANA GONÇALVES em 13/01/2013
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários