Dirce Carneiro por Diana Gonçalves
Pensamentos... palavras e poesia... em ação...querendo alçar voo, em mutação...
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Prêmios Livro de Visitas Contato Links
ABANDONO (Exercícios)
No mundo, só, estende as mãos à sorte
Em gesto mudo onde a esperança é morta.
Em gritos surdos nesta estrada torta
Avança ao léu, alma sangrando em corte.

O que recebe não é dom que o livre
Da sua angústia, nem da dor que fere
pois não se vence, ainda que se esmere
na existência, sem um sonho crível

Inoportuno sentimento nasce,
Fala mais alto, inusitado, e dá-se
uma vez mais um sonho bom, real.

Afasta em si, por um momento, o Mal,
Grande vazio sem uma causa forte
Inglória luta contra Sorte e Morte.


Por:
Diana Gonçalves
Dudu Oliveira
Elischa Dewes
Fiore Carlos
Paulo Camelo
Ronaldo Rhusso


18.12.09

***

Proposta de tema e técnica por Fiore Carlos
Tema: Abandono
Técnica: Decassílabo Sáfico - sílabas tônicas nas posições 4, 8 e 10
Esquema rímico: ABBA // CDDC // EEF // FGG (os dois últimos versos do derradeiro terceto retomam técnica e poeticamente  rimas já presentes na primeira estrofe e valeu)

Este exercício suscitou duas questões interessantes: a questão das rimas (V. parágrafo abaixo) e o movimento do poema, de modo que a estrofe inicial encontra consigo mesma no último terceto, sugerindo um fatalismo sem redenção, que as estrofes finais procuram atenuar, mas no fundo é apenas um eufemismo.

Aplica-se aqui o comentário de um poeta amigo a um poema homônimo, que eu li e espelha a sugestão do trabalho concluído:

“Abandono reflete um esvaziamento, o pessimismo inexorável e nenhuma possibilidade de redenção; penso numa atitude impiedosa que não deixe qualquer esperança para o eu-lírico.  Um soco no estomago do leitor...”

Oportuno o subsídio para as rimas, de autoria do recantista Fiore Carlos, encontrado no link:
http://www.recantodasletras.com.br/teorialiteraria/654358

***
DIANA GONÇALVES
Enviado por DIANA GONÇALVES em 21/12/2009
Alterado em 06/01/2010
Comentários